quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Um empate amarrado na semifinal. A decisão da vaga será semana que vem.

 O Botafogo, atuando no Nilton Santos, empatou por 0x0 com o Flamengo, no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. Na próxima quarta-feira, no Maracanã, decidiremos a classificação para a final da competição. Um novo empate sem gols levará a decisão para os pênaltis e qualquer empate com gols nos fará avançar. No jogo da volta não poderemos contar com Pimpão, que recebeu o 3º amarelo, e Carli, expulso nesta quarta-feira.

 O Botafogo, embora com a formação principal, não conseguiu repetir as últimas atuações, muito pelo excesso de passes errados, que dificultaram bastante a criação de situações de gol. Não faltou disposição, mas o nível técnico esteve abaixo do que a equipe vinha apresentando, com exceção de Bruno Silva.

 O alvinegro iniciou meio amarrado, sem dar sequência nas jogadas e o adversário tocava mais a bola, mas sem oferecer perigo, o que aconteceu somente aos 16 minutos, em jogada aérea. Depois dos 20 minutos, o Glorioso equilibrou a partida, mas sem criar situações de gol. Terminamos o 1º tempo sem uma chance clara e tomamos um susto aos 44, quando Gatito vacilou, mas na mesma jogada se redimiu e evitou o gol.

 O Glorioso não voltou bem para a etapa final. Os erros de passe se sucediam. Logo aos 11 minutos, em cobrança de falta, levamos uma bola no travessão. Depois desse lance o jogo seguiu amarrado, com o adversário chegando apenas em uma bola que bateu em Rabello e saiu para escanteio e o Botafogo somente em arremate de Matheus Fernandes, de fora da área, que o goleiro defendeu.

 O nosso treinador substituiu Pimpão por Guilherme, aos 20 minutos, e Matheus Fernandes por Gilson, aos 30, mas os dois que entraram não conseguiram melhorar o rendimento da equipe. Aos 33 o juiz expulsou Carli e o goleiro adversário, após dividida na área. A expulsões, para mim, foram exageradas. Com o vermelho para Carli, o treinador Jair Ventura colocou Marcelo no time e tirou Roger. Depois das expulsões, nada mais aconteceu na partida.

Lances do jogo

1º tempo

- 16 min: após cruzamento para a nossa área, a bola foi cabeceada e Gatito pegou firme;
- 26 min: Bruno Silva fez grande jogada pela direita, cruzou rasteiro para a área, mas o goleiro chegou na bola antes de Roger;
- 27 min: após escanteio, Bruno Silva tentou de virada e jogou para fora;
- 31 min: Matheus Fernandes arriscou de longe, forte e a bola foi para fora;
- 44 min: um jogador adversário cruzou rasteiro da direita, junto da linha de fundo, Gatito soltou a bola na frente de um atacante, que concluiu, mas Gatito se redimiu e fez grande defesa.

2º tempo

- 11 min: Lindoso cometeu falta na entrada da área. Na cobrança a bola foi no travessão;
- 22 min: em lançamento para a nossa área, a bola bateu em Igor Rabello e saiu com perigo para escanteio;
- 30 min: Matheus Fernandes pegou um rebote fora da área, chutou e o goleiro defendeu.

Cartões

 Amarelo para Lindoso, Matheus Fernandes, Joel Carli e Pimpão;
 Vermelho direto para Joel Carli.

Escalação/substituições

 Gatito, Luis Ricardo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso, Matheus Fernandes (Gilson), Bruno Silva e João Paulo; Pimpão (Guilherme) e Roger (Marcelo).

 Saudações alvinegras.

domingo, 13 de agosto de 2017

Leandro e Gatito decidem e o Botafogo vence no início do returno

 O Botafogo derrotou o Grêmio por 1x0, no Nilton Santos, e subiu três posições na classificação do Brasileiro. A equipe alvinegra só não terminará a rodada nessa posição se o Santos for derrotado em casa na segunda-feira.

 O Glorioso entrou em campo praticamente com a equipe reserva, assim como o seu adversário. Dos titulares, somente Gatito, Bruno Silva e Matheus Fernandes começaram a partida, mas a equipe entrou com a postura semelhante a que iniciou os últimos jogos pela Copa do Brasil e Libertadores.

 Assim como nas citadas competições, o alvinegro abriu o placar logo no início, com Leandro, após excelente contra-ataque aos 6 minutos. Com a vantagem, o Botafogo se manteve melhor que o adversário na partida, criou chances para ampliar e neutralizava as investidas dos gaúchos, que chegaram pela primeira vez somente aos 21, mas Emerson Silva, atento, salvou em cima da linha.

 O time alvinegro chegava bem no ataque, mas não conseguia ampliar o placar, por outro lado não dava espaços ao adversário, que teve somente mais uma chance aos 28, em contra-ataque e em cobrança de falta aos 44, que resultou em pênalti duvidoso assinalado pelo juiz, ao ver um toque no braço de Matheus Fernandes. Na cobrança, Gatito defendeu e levou a vantagem mínima para o intervalo.

 O alvinegro não repetiu na etapa final a atuação do 1º tempo, devido a erros de passes em demasia e a faltas seguidas marcadas pela arbitragem, para o adversário, nos primeiros 15 minutos. Mesmo assim, o time encaixou bons contra-ataques e poderia matar o jogo, mas foram desperdiçados, tanto por excesso de individualismo em alguns, como em falta de capricho nas finalizações em outros.

 O adversário chegou em jogadas aéreas, logo a um minuto e aos 18, assim como em chute aos 42, que desviou em Marcelo e saiu com perigo. Fora isso, o Botafogo conseguiu neutralizar muito bem os avanços dos gaúchos.

 O treinador Jair Ventura, que completou um ano no comando técnico do alvinegro, fez três substituições no 2º tempo: Victor Luis na vaga de Leandro (aos 17); Fernandes no lugar de Brenner (aos 20); Emerson Santos na vaga de Arnaldo (aos 27).

 Agora é semifinal da Copa do Brasil, na quarta-feira, também no Nilton Santos e a presença do torcedor alvinegro será fundamental para buscarmos a classificação para a final.

Lances do jogo

1º tempo

- 6 min: Leandro recuperou uma bola no campo de defesa, tocou para Matheus Fernandes, daí para Léo Valencia no campo de ataque. O chileno abriu na direita para Brenner que enfiou um bolão na área para Leandro chutar cruzado, na saída do goleiro e abrir o placar: 1x0 Fogão!
- 9 min: Gilson cruzou da esquerda, a bola desviou na zaga, foi em direção ao gol, mas o goleiro mandou para escanteio;
- 11 min: Léo Valencia recebeu na área, pela direita, cruzou, mas Emerson Silva não conseguiu tocar de cabeça;
- 21 min: após escanteio pela esquerda, a bola foi na nossa área, houve um chute cruzado e Emerson Sila salvou em cima da linha;
- 24 min: Guilherme puxou contra-ataque, Bruno Silva recebeu, tocou de volta para Guilherme, que driblou um marcador, mas chutou em cima do goleiro;
- 26 min: Léo Valencia tocou para Matheus Fernandes na área, que arriscou e o goleiro defendeu;
- 28 min: em contra-ataque do time adversário pela esquerda, Arnaldo foi driblado, a bola foi chutada, desviada e saiu para escanteio;
- 44 min: em cobrança de falta da equipe gaúcha da entrada da área, o juiz marcou pênalti por toque, discutível, no braço de Matheus Fernandes;
- 46 min: na cobrança da penalidade, Gatito se esticou e foi buscar no cantinho, evitando o gol de empate.

2º tempo

- 1 min: escanteio para o adversário pela direita, Brenner raspou no 1º pau e um atacante cabeceou por cima;
- 4 min: Brenner cruzou rasteiro da direita, a bola atravessou a área, mas ninguém conseguiu tocar nela;
- 13 min: em contra-ataque, Bruno Silva tocou na área para Léo Valencia, que chutou e o goleiro espalmou para escanteio;
- 18 min: em bola cruzada para a nossa área, houve um bate-rebate e a zaga cortou;
- 19 min: Arnaldo avançou, costurou a zaga adversária, chutou e o goleiro salvou;
- 34 min: Léo Valencia puxou contra-ataque, mas não tocou a bola e acabou desarmado;
- 36 min: Guilherme puxou contra-ataque, poderia ter tocado para Gilson na esquerda ou Léo Valencia na direita, mas preferiu chutar e mandou por cima;
- 41 min: Guilherme tocou para Victor Luis na esquerda, que cruzou rasteiro, a bola atravessou a área e ninguém tocou;
- 42 min: em chute da entrada da área, a bola desviou em Marcelo e sai com perigo para escanteio;
- 47 min: em roubada de bola no ataque, Bruno Silva tocou para Gilson, que chutou para fora, com perigo.

Cartões

 Amarelo para Matheus Fernandes, Gilson e Emerson Silva.

Escalação/substituições

 Gatito, Arnaldo (Emerson Santos), Marcelo, Emerson Silva e Gilson; Matheus Fernandes, Bruno Silva, Leandro (Victor Luis) e Léo Valencia; Guilherme e Brenner (Fernandes).

 Saudações alvinegras!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Atuação segura, classificação merecida e festa da torcida

 O Botafogo derrotou o Nacional do Uruguai por 2x0 no Nilton Santos lotado e se classificou para as quartas de final da Libertadores. O Glorioso construiu o placar com apenas 5 minutos de jogo, com Bruno Silva e Pimpão, o que tranquilizou um pouco mais a equipe e os torcedores, já que somada à vitória em Montevidéu, a vantagem aumentou muito.

 Em se tratando de competição difícil como a Libertadores, a tranquilidade não poderia gerar relaxamento e falta de atenção, mas felizmente o time alvinegro manteve-se ligado durante todo o jogo e garantiu a classificação para enfrentar o Grêmio na próxima fase.

 O Botafogo abriu o placar aos 2 minutos, após escanteio cobrado por João Paulo na cabeça de Bruno Silva. Logo depois, aos 5, a bola foi recuada para o goleiro e Pimpão se antecipou e aumentou o placar.

 Com a vantagem, a equipe alvinegra se postou em campo da maneira que gosta, fechada e tentando sair em contra-ataque. Sem sofrer perigo, o Botafogo por pouco não ampliou aos 20, em chute de Roger que o goleiro salvou. A primeira chegada do Nacional ocorreu aos 32, em chute de fora que saiu para escanteio. Depois o adversário chegou em duas cobranças de falta no final da etapa, mas ambas ficaram nas mãos de Gatito.

 No início da etapa final, a equipe uruguaia, precisando reverter a desvantagem, tentou exercer pressão. Logo aos 3 minutos Gatito fez bela defesa, para escanteio, mas depois disso, bem postada defensivamente, a equipe alvinegra não dava chances aos adversários, que tentavam cruzamentos, sempre bem interceptados por nossa defesa.

 Aos 20 minutos, o treinador Jair Ventura colocou Guilherme na vaga de Pimpão. Aos 23, Gatito fez grande defesa em chute à queima-roupa. Aos 29 foi a vez de Dudu Cearense ir para o jogo no lugar de Matheus Fernandes.

 Espaços foram surgindo e Guilherme, que entrou bem no jogo, puxou contra-ataques e serviu companheiros, como aos 33, mas Roger não aproveitou. Aos 34, Lindoso cabeceou com perigo. Aos 35 Guilherme tocou boa bola para Roger, que chutou mal.

 Nossa última alteração ocorreu aos 42, com Roger saindo para a entrada de Gilson. Nos últimos minutos, com a vitória alvinegra garantida, o que se viu foi o destempero dos uruguaios, que acabaram com três jogadores expulsos, mas infelizmente o juiz também mostrou vermelho para Victor Luis, em confusão iniciada após agressão ao nosso lateral.

 Uma grande vitória do Botafogo!

 Uma grande festa dos 40 mil torcedores presentes no Nilton Santos!

 Que venham as quartas de final!

Lances do jogo

1º tempo

- 2 min: João Paulo cobrou escanteio pela direita, Bruno Silva, bem posicionado próximo à marca de pênalti, cabeceou no canto e abriu o placar: 1x0 Fogão!
- 5 min: Gatito deu um chutão para a frente, a bola ficou com a defesa uruguaia e foi atrasada para o goleiro, mas Pimpão acreditou na jogada, chegou antes do goleiro, tocou na bola e mandou para as redes: 2x0 Fogão!
- 20 min: Pimpão dividiu com os defensores uruguaios, a bola sobrou para Roger, que chutou de primeira da entrada da área, no canto alto e o goleiro saltou e espalmou para escanteio;
- 32 min: um uruguaio arriscou de fora da área, a bola resvalou na nossa zaga e saiu com perigo para escanteio;
- 45 min: em cobrança de falta do time uruguaio de fora da área, Gatito defendeu sem rebote;
- 46 min: em nova cobrança de falta do Nacional, a bola passou na frente de vários jogadores, com perigo, e ficou com Gatito.

2º tempo

- 3 min: após chute forte, de longe, Gatito se esticou e mandou para escanteio;
- 23 min: um uruguaio ficou com um rebote na área, pelo lado direito, chutou forte, mas Gatito abafou muito bem a jogada e evitou o gol;
- 34 min: após cobrança de escanteio, Lindoso cabeceou e a bola saiu com perigo;
- 35 min: Guilherme dominou na área, pelo lado esquerdo, tocou para Roger, que chutou fraco e perdeu grande chance para ampliar.

Cartões

 Amarelo para Matheus Fernandes, João Paulo, Roger e Dudu Cearense.
 Vermelho para Victor Luis.

Escalação/substituições

 Gatito, Luis Ricardo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso, Matheus Fernandes (Dudu Cearense), Bruno Silva e João Paulo; Pimpão (Guilherme) e Roger (Gilson).

 Saudações alvinegras!

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Alguns números do Botafogo no 1º turno

 O Botafogo terminou o 1º turno do Brasileiro com 25 pontos, na 11ª colocação(*) (aproveitamento de 43,8%). Foram 6 vitórias, 7 empates e 6 derrotas.

 O time alvinegro marcou 21 gols (o Grêmio tem o melhor ataque, com 35 gols e o Avaí o pior, com 10) e sofreu 20 (a melhor defesa é do Corinthians, 9 gols sofridos e a pior é do Atlético/GO, com 34).

 Em 2016 o clube terminou o 1º turno na 13ª colocação, com 23 pontos, sendo 6 vitórias, 5 empates e 8 derrotas, 25 gols marcados e 30 sofridos.

 No momento estamos apenas 3 pontos de distância para o G6 e 6 pontos a frente do Z4. Em 2016, ao fim do turno, estávamos a 9 pontos de distância do G6 e apenas 2 pontos na frente do 17º colocado (Z4).

 Como mandante o alvinegro é o 13º colocado, com 14 pontos (aproveitamento de 51,8%). Em casa foram 9 jogos, com 4 vitórias, 2 empates e 3 derrotas, 15 gols marcados e 13 sofridos.

 Como visitante o Glorioso está na 11ª colocação, com 11 pontos (aproveitamento de 36,6%). São 2 vitórias, 5 empates e 3 derrotas. Foram 6 gols marcados e 7 sofridos.

 Os artilheiros do Botafogo na competição são:

- Roger: 06 gols;
- Bruno Silva: 04;
- Lindoso, Marcos Vinícius, Guilherme e Pimpão: 02 gols cada;
- Joel Carli, Victor Luis e Vinícius: 01 gol cada.

 Os jogadores que entraram em campo no 1º turno (entre parênteses o nº de jogos em que os atletas iniciaram no banco):

- 17 jogos: Pimpão (1); 
- 16 jogos: João Paulo, Igor Rabello, Roger (1);
- 15 jogos: Bruno Silva, Lindoso, Victor Luis (1); Guilherme (12);
- 13 jogos: Joel Carli, Arnaldo, Gatito, Matheus Fernandes (1);  
- 12 jogos: Gilson (6);  
- 8 jogos: Dudu Cearense (5);
- 7 jogos: Marcelo (1); Marcos Vinícius (3); Camilo (2);
- 6 jogos: Montillo (5);  
- 5 jogos: Jefferson;
- 4 jogos: Luis Ricardo (1);
- 3 jogos: Emerson Santos, Emerson Silva, Airton (1); Fernandes (1); Brenner (2); Leandro (3); Joel (2);
- 2 jogos: Vinícius (1); Léo Valencia (1); Pachu (2);
- 1 jogo: Helton Leite, Wenderson (1); Renan Gorne (1); Lucas Campos (1); Victor Lindenbergh (1); Renan Fonseca (1).

Cartões:

 Dudu Cearense recebeu na última rodada do turno o 3º amarelo e está fora da 1ª rodada do 2º turno.
 Estão pendurados com 2 amarelos: Arnaldo, Roger, Lindoso, João Paulo, Emerson Santos e Léo Valencia.
 Joel Carli foi o alvinegro que mais cartões amarelos recebeu, sendo 7 no total, sendo seguido por Bruno Silva, com 6.
 O único alvinegro que foi expulso na competição até aqui foi Emerson Santos.

 Em 19 rodadas, o Botafogo figurou uma vez no G4 e outra no G6.

 A melhor colocação alcançada pelo time alvinegro no 1º turno foi a 4ª posição (9ª rodada) e a pior foi a 16ª colocação (1ª rodada).

 (*) A partida entre Ponte Preta e Fluminense, válida pelo 1º turno, foi adiada. O Botafogo ainda poderia se alcançado pela Ponte Preta, mas o referido jogo somente será realizado após o início do 2º turno.

 Saudações alvinegras.

domingo, 6 de agosto de 2017

Botafogo fechou o turno com empate em Minas Gerais

 O Botafogo terminou nesse domingo a sua participação no 1º turno do Brasileiro e não passou de um empate, por 0x0, com o Cruzeiro, em Belo Horizonte.

 Com a equipe recheada de reservas, já que os titulares foram poupados, visando a decisão de quinta-feira, pela Libertadores, o alvinegro começou confuso em campo e nos primeiros minutos, em jogadas feitas pelo setor de marcação de Emerson Silva, acabou levando sufoco e bola na trave. Faltou uma melhor cobertura por aquele setor.

 O Glorioso aos poucos foi se acertando na marcação e passou a não ser incomodado pelo adversário. Em termos ofensivos, deixamos muito a desejar. Tivemos apenas um chute fraco de Guilherme aos 12 e um contra-ataque puxado por Léo Valencia, mas desperdiçado pelo mesmo, já que não tocou a bola para Guilherme.

 A equipe alvinegra retornou para o 2º tempo sem alterações, porém melhor postada em campo. Aos 10, Emerson Silva cabeceou com perigo na área mineira. O jogo seguiu com o Botafogo fechado, ao seu estilo e a equipe mineira sem assustar. Aos 24 o treinador tirou Brenner e colocou Vinícius e, aos 30, Marcos Vinícius substituiu Léo Valencia.

 O time mineiro, embora marcasse presença no campo de ataque, chegava com perigo apenas em bolas cruzadas, como aos 32, que saiu com perigo, e aos 34, quando a bola foi na trave e ficou nas mãos de Gatito.

 Depois o time adversário não assustou mais e o Botafogo teve dois bons contra-ataques, um aos 36, que Guilherme desperdiçou ao não tocar a bola e outro aos 42, quando Guilherme achou Marcos Vinícius livre, mas a conclusão foi para fora. Entre esses dois contra-ataques, houve a substituição de Emerson Santos por Renan Fonseca.

 Sobre os novatos do elenco: se a entrada de Léo Valencia contra o Palmeiras animou um pouco os alvinegros, hoje a atuação do chileno foi apagada; Brenner tentou fazer o pivô, mas foi pouco acionado, já que tivemos pouquíssimas jogadas ofensivas.

 Agora é decisão, agora é Libertadores. Foco total na partida de quinta-feira, diante do Nacional do Uruguai, no Nilton Santos.

Lances do jogo

1º tempo

- 2 min: um jogador adversário driblou Emerson Silva com facilidade, chutou, Gatito espalmou e a zaga cortou. A seguir, um mineiro recebeu na área, chutou e acertou a nossa trave;
- 3 min: após escanteio e bate-rebate na nossa área, a bola saiu pela linha de fundo;
- 14 min: um adversário driblou Emerson Silva, a bola foi rasteira para a nossa área, um jogador mineiro tocou de letra, mas para fora.

2º tempo

- 10 min: Léo Valencia cobrou falta pela meia esquerda, Emerson Silva cabeceou e a bola saiu perto da meta adversária;
- 32 min: em falta cobrada pela equipe adversária pelo lado esquerdo, a bola atravessou a área e saiu com perigo;
- 34 min: em cruzamento para a nossa área, a bola foi ajeitada de cabeça para o meio, houve outra cabeceada, a bola bateu na trave e ficou com Gatito;
- 36 min: Guilherme puxou contra-ataque pela esquerda, entrou na área, mas não tocou a bola e foi bloqueado;
- 42 min: Vinícius dominou no campo de defesa, abriu para Guilherme na direita, que puxou contra-ataque desde a linha de meio de campo e quando chegou de frente para a grande área, tocou para o meio e Marcos Vinícius concluiu livre, para fora, perdendo grande oportunidade.

Cartões

 Amarelo para Dudu Cearense, Léo Valencia e Emerson Santos. Foi o 3º amarelo de Dudu Cearense, que está suspenso da próxima rodada.

Escalação/substituições

 Gatito, Emerson Santos (Renan Fonseca), Marcelo, Emerson Silva e Gilson; Lindoso, Dudu Cearense, Bruno Silva e Léo Valencia (Marcos Vinícius); Guilherme e Brenner (Vinícius).

 Saudações alvinegras.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O Botafogo (do Brasileiro) perde novamente

 O Botafogo parece, claro que não intencionalmente, um time com dupla personalidade, uma durante o Brasileiro e outra que dá o ar da graça na Libertadores e na Copa do Brasil, tamanha a diferença das atuações. A sensação é que nas Copas é ligada uma chave em 220V, o que não ocorre no Brasileiro.

 O time que nas Copas mantém a atenção do primeiro ao último minuto, se mostra diferente no Brasileiro, mesmo que a maioria, ou até a totalidade dos jogadores, seja a mesma. Impressionante.

 Eu esperava que nesta quarta-feira, no Nilton Santos, contra o Palmeiras, a equipe mostrasse a postura das Copas, em função do revés inacreditável do último sábado e o desejo de superá-lo, mas errando bastante, sobretudo defensivamente, o time alvinegro foi derrotado por 2x1, sofrendo gol mais uma vez no final da partida.

 Dos últimos 12 pontos disputados, o Botafogo conquistou apenas 2. No Brasileiro, o aproveitamento do clube é de 44,4%. Em 9 jogos como mandantes, vencemos apenas 4.

 A partida teve um 1º tempo fraco e o Botafogo teve dificuldades pelos sucessivos erros, tanto de passe, quanto de saída de bola da defesa para o ataque. O adversário chegou com perigo aos 4 minutos, em conclusão da entrada da área, que resvalou na nossa zaga e saiu raspando o travessão. Aos 28 Gatito fez excelente defesa, em conclusão na área, após contra-ataque originado por perda de bola de João Paulo no campo de ataque, após falta mal cobrada.

 Somente chegamos aos 31, com Roger concluindo para fora, após falta cobrada por João Paulo. No último lance da 1ª etapa, Roger cometeu falta infantil pelo lado esquerdo de defesa e após a cobrança, Rabello tentou cortar e marcou gol contra.

 A equipe voltou para a etapa final com Léo Valencia na vaga de Lindoso. Gatito fez grande defesa logo com um minuto, em lance de cabeça. O estreante Léo Valencia se movimentava bem e aos 9, após bela jogada de Matheus Fernandes, Léo Valencia recebeu, enfiou boa bola para Roger, que meio que chutou, meio que cruzou, o goleiro deu um tapinha e a bola sobrou para Pimpão cabecear e empatar a partida.

 Aos 13, Carli dominou junto da linha de meio de campo, lançou para a área, Pimpão cabeceou e o goleiro mandou para escanteio. A equipe alvinegra pressionava e aos 21 Rabello perdeu grande chance, após passe de João Paulo.

 Aos 30, Guilherme foi para o jogo, na vaga de Matheus Fernandes, mas não conseguiu produzir nada no restante da partida. Aos 35 Gatito saiu jogando errado e o gol somente não saiu porque Rabello conseguiu bloquear o chute do adversário.

 Tivemos a chance de virar aos 37, mas o goleiro mandou para escanteio o chute cruzado de Roger. Aos 40, após cruzamento da esquerda, um atacante escorou tranquilamente para as redes, entre nossos dois zagueiros, que ficaram sem qualquer reação. Brenner ainda substituiu Roger, mas não teve tempo para tentar alguma coisa.

 Em minha opinião, pela atuação no último jogo, com dois gols marcados, Marcos Vinícius poderia ter recebido uma oportunidade no transcorrer dessa partida. 

 É complicado avaliar um jogador por apenas um jogo, mas Léo Valencia parece ter condições técnicas para nos ajudar na sequência da temporada.

 É preocupante a queda de rendimento do setor defensivo. Foram seis gols sofridos nos dois últimos jogos, com algumas falhas lamentáveis.

 Falta uma semana para o jogo pela Libertadores. Que os erros sejam corrigidos e que a equipe volte a apresentar a atenção, a aplicação e a determinação que nos trouxe até aqui nas Copas e que possa nos levar ainda mais adiante.

Cartões

 Amarelo para Lindoso, Igor Rabello, Joel Carli, João Paulo e Léo Valencia.

Escalação/substituições

 Gatito, Luis Ricardo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso (Léo Valencia), Matheus Fernandes (Guilherme), Bruno Silva e João Paulo; Pimpão e Roger (Brenner).

 Saudações alvinegras.

sábado, 29 de julho de 2017

Apagão alvinegro no Nilton Santos

 O Botafogo, depois de estar com a vantagem de 3x1 diante do São Paulo, acabou amargando uma derrota de 4x3, sofrendo três gols a partir dos 38 minutos da etapa final. Foi um verdadeiro apagão da equipe alvinegra, que acaba deixando escapar pontos valiosos no Brasileiro.

 O time alvinegro começou bem a partida, estava superior ao adversário, mas sofreu um gol aos 17 minutos, em vacilo incrível, ocorrido quando João Paulo protegeu a bola na área, aguardando a saída de Gatito e, diante da indecisão de ambos, um jogador adversário ficou com a bola e abriu o placar. Um minuto depois, Pimpão dominou a bola na ponta esquerda, encontrou Marcos Vinícius na grande área, que chutou de canhota, no canto e empatou.

 O jogo seguia movimentado e Gatito foi exigido, espalmando um chute de fora aos 20. Aos 25 Marcos Vinícius recebeu no campo de ataque, arriscou de fora da área, a bola quicou na frente do goleiro e entrou. Era a virada do Botafogo. A partir daí, a equipe alvinegra recuou bastante e o time adversário alugou nosso campo de defesa, mas conseguimos levar a vantagem para o intervalo. Detalhe: antes do termino do 1º tempo, em jogada aérea na área adversária, a bola foi no braço esticado de um defensor, mas o árbitro não assinalou a penalidade.

 O Botafogo voltou para a etapa final ao seu estilo, fechado, esperando o momento de contra-atacar. Aos 14, Marcos Vinícius, aparentemente desgastado fisicamente, deu lugar a Guilherme. Aos 19, um jogador adversário invadiu a área e se jogou quando da chegada de Carli. O juiz, diferente do lance da bola no braço do defensor adversário no 1º tempo, dessa vez marcou o pênalti, inexistente. Infelizmente, nem todas as equipes têm o privilégio de marcações de pênalti contra serem revistas pela arbitragem. Mas tínhamos Gatito, que pegou a penalidade aos 22.

 Um minuto após o pênalti defendido por Gatito, Guilherme recebeu junto a linha de meio de campo, abriu um bolão na direita para Luis Ricardo, que avançou, tocou para trás e Guilherme, já na grande área, chutou de primeira e ampliou para 3x1. Parecia que a vitória viria, já que tínhamos dois gols de vantagem e o momento no jogo era nosso. Pura ilusão.

 Aos 30 Victor Luis pediu substituição e deu lugar a Victor Lindenbergh. Aos 33, atacamos em velocidade, Pimpão recebeu de Guilherme na direita, devolveu para o companheiro, que chutou por cima. Aos 34 saiu Roger e entrou o estreante Brenner. Aos 36 Luis Ricardo recebeu na direita, cruzou e Pimpão mandou de bicicleta, para fora.

 Depois veio o apagão. Aos 38, após escanteio da esquerda, a bola foi cabeceada do meio da área para o 2º pau e dali cabeceada para as redes. Aos 40, em bate-rebate na nossa área, um adversário pegou o rebote e chutou forte, de virada e empatou. Aos 46, um jogador adversário recebeu livre de marcação, avançou, chutou e virou a partida.

 Um jogo que parecia caminhar para a vitória alvinegra, teve um resultado decepcionante para os 17 mil torcedores presentes no Nilton Santos.

 Que sirva de lição, que nenhum jogo está ganho até que a arbitragem apite o seu final. Hoje o time vacilou, se desligou e tomou três gols no final, que decretaram o resultado amargo, até porque sabemos que um ponto forte da equipe é o setor defensivo.

Cartões

 Não tivemos cartões para jogadores alvinegros.

Escalação/substituições

 Gatito, Luis Ricardo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis (Victor Lindenbergh); Lindoso, Matheus Fernandes, João Paulo e Marcos Vinícius (Guilherme); Pimpão e Roger (Brenner).

 Saudações alvinegras.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Que noite! Que classificação!

 O Botafogo proporcionou aos mais de 27 mil torcedores presentes ao Nilton Santos uma noite sensacional! Com uma atuação perfeita, o Glorioso derrotou o Atlético/MG por 3x0 e se classificou para as semifinais da Copa do Brasil. Os gols do alvinegro foram marcados por Joel Carli, Roger e Gilson.

 O Botafogo iniciou muito bem o jogo, alugou o campo de defesa do adversário e logo aos 5 minutos, em jogada de escanteio, Carli abriu o placar e o caminho para a classificação. Com a vantagem e postado em campo do jeito que gosta, a equipe alvinegra conseguiu alguns bons contra-ataques, não aproveitados.

 O Glorioso continuou muito seguro no gramado e ampliou aos 41, com Roger, após belo cruzamento de João Paulo. A equipe mineira deu trabalho a Jefferson apenas aos 16, em chute espalmado pelo nosso goleiro para escanteio.

 Na volta do intervalo, a equipe alvinegra continuou bem posicionada defensivamente, porém um pouco mais recuada do que no 1º tempo, até porque o placar lhe dava a classificação, mas mesmo assim chegou primeiro na meta adversária, em chute de Pimpão aos 3 minutos.

 A equipe adversária chegava em bolas aéreas, que eram bem interceptadas por nossa zaga, que nos passava segurança. A jogada mais perigosa deles foi em contra-ataque, em que o jogador adversário tentou encobrir Jefferson.

 O treinador Jair Ventura retirou Pimpão aos 23 e colocou Guilherme. Aos 34, Roger deu lugar a Gilson e aos 40 foi a vez de Leandro substituir João Paulo. Esperava-se que Guilherme tivesse possibilidades de puxar contra-ataques em velocidade, mas Leandro e Gilson é que participaram muito bem da jogada de contra-ataque que resultou no 3º gol.

 Roger, para mim, foi o grande destaque da partida. Jogou muito o atacante alvinegro, que ainda marcou o gol dele.

 O restante da equipe também muito bem na partida, sobretudo o nosso miolo de zaga. Pimpão esteve bem taticamente, mas tecnicamente vacilou no momento de aproveitar bons contra-ataques na 1ª etapa.

 Uma vitória espetacular desse grupo fantástico de jogadores!  

Lances do jogo

1º tempo

- 5 min: João Paulo cobrou escanteio pela direita, a zaga cortou parcialmente, Bruno Silva tentou concluir, a bola sobrou para Carli, que deslocou o goleiro e abriu o placar: 1x0 Fogão!
- 7 min: Roger esticou para Pimpão, que avançou, demorou a concluir e foi desarmado;
- 14 min: após cobrança de falta da equipe adversária, um jogador mineiro pegou a sobra na grande área e concluiu por cima;
- 16 min: um jogador mineiro recebeu na área, pela direita, chutou e Jefferson espalmou para escanteio;
- 38 min: em bom ataque alvinegro pela direita, Lindoso tocou para Emerson Santos, que enfiou um bolão para João Paulo na área, que inverteu a jogada para Pimpão, que atrasou e Victor Luis chutou por cima;
- 41 min: Lindoso fez grande lançamento para João Paulo na esquerda, que driblou um adversário, cruzou na medida para Roger, que cabeceou para as redes: 2x0 Fogão!
- 44 min: Bruno Silva recebeu no campo de ataque, tocou para Pimpão na esquerda, que chutou por cima.

2º tempo

- 3 min: João Paulo tocou para Pimpão, que chutou cruzado e o goleiro defendeu;
- 5 min: após cruzamento perigoso da esquerda, Matheus Fernandes cortou de cabeça para escanteio;
- 6 min: em contra-ataque, Roger rolou para Pimpão na área, que chutou e o zagueiro se esticou e cortou;
- 14 min: em bola perigosa jogada para a nossa área, João Paulo afastou;
- 20 min: em contra-ataque do adversário, o atacante recebeu, tentou encobrir Jefferson, mas o nosso goleirão desviou a bola de cabeça e Victor Luis cortou;
- 44 min: Leandro puxou contra-ataque desde o campo de defesa, rolou para Bruno Silva na direita, que inverteu para Gilson na meia esquerda invadir a área, chutar cruzado e marcar o gol: 3x0 Fogão!

Cartões

 Amarelo para Carli.

Escalação/substituições

 Jefferson, Emerson Santos, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso, Matheus Fernandes, Bruno Silva e João Paulo (Leandro); Pimpão (Guilherme) e Roger (Gilson).

 Saudações alvinegras!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Números do Botafogo após 45 jogos no ano

 Após 45 partidas realizadas em 2017 (considerando o amistoso contra o Rio Branco, no Espírito Santo), apresentamos, a seguir, alguns números da equipe alvinegra:

- 21 vitórias, 11 empates e 13 derrotas;
- aproveitamento de 54,8%;
- 58 gols marcados e 44 sofridos.

 Artilheiros do Botafogo:

- Roger: 12 gols;
- Pimpão e Sassá: 7 cada;
- Bruno Silva: 6;
- Guilherme e Lindoso: 4 cada.

 Os atletas que mais atuaram:

- 37 jogos: Roger (33 como titular);
- 36 jogos: Pimpão (33 como titular); Guilherme (10 como titular);
- 35 jogos: Victor Luis (34 como titular);
- 34 jogos: Bruno Silva (33 como titular);
- 33 jogos: Gatito Fernandez (32 como titular); João Paulo (29 como titular);
- 30 jogos: Lindoso (29 como titular);
- 28 jogos: Camilo (24 como titular);
- 27 jogos: Joel Carli (titular em todos);
- 25 jogos: Igor Rabello (24 como titular);
- 24 jogos: Matheus Fernandes (15 como titular);
- 23 jogos: Gilson (13 como titular);
- 21 jogos: Emerson Silva (titular em todos);
- 19 jogos: Dudu Cearense(9 como titular);
- 18 jogos: Montillo (12 como titular);  
- 17 jogos: Marcelo (12 como titular); Fernandes (6 como titular); Sassá (5 como titular);
- 16 jogos: Airton (15 como titular).

Amistoso

 A equipe iniciou o ano vencendo o Rio Branco, por 4x0, em amistoso no Espírito Santo. Gols de Pimpão (2), Montillo e Sassá.

Estadual

 Pelo Estadual foram 14 jogos, com 7 vitórias, 2 empates e 5 derrotas (aproveitamento de 54,7%). O alvinegro marcou 23 gols e sofreu 19.

 Os artilheiros do time foram Sassá (5 gols) e Roger (04).

 Os jogadores que mais atuaram:

- 11 jogos: Guilherme (5 como titular) e Sassá (3 como titular);
- 10 jogos: Roger (9 como titular);
- 9 jogos: Marcinho (titular em todos), Gatito Fernandez (titular em todos), Renan Fonseca (8 como titular);
- 8 jogos: Lindoso (titular em todos), Camilo (titular em todos); Bruno Silva (7 como titular); Gilson (7 como titular); Fernandes (4 como titular).

 Receberam cartão vermelho durante a competição: Marcelo, Bruno Silva e Pimpão.

Libertadores

 Pela Libertadores, o Botafogo realizou até aqui 11 partidas, com 6 vitórias, 2 empates e 3 derrotas (aproveitamento de 60,6%). Foram 11 gols marcados e 8 sofridos.

 O artilheiro alvinegro na competição é Pimpão, com 4 gols.
Airton, Roger, Camilo, Guilherme, Sassá e João Paulo marcaram um gol cada e ainda houve um gol contra a nosso favor.

 Os atletas que mais atuaram até o momento:

- 11 jogos: Victor Luis (titular em todos);
- 10 jogos: Pimpão (titular em todos); Bruno Silva (titular em todos); Gatito Fernandez (9 como titular); Roger (8 como titular); João Paulo (8 como titular); Guilherme (2 como titular);
- 9 jogos: Emerson Silva (titular em todos); Camilo (8 como titular);
- 8 jogos: Joel Carli (titular em todos);
- 7 jogos: Lindoso (6 como titular);
- 6 jogos: Airton (titular em todos); Marcelo (5 como titular);
- 5 jogos: Emerson Santos (titular em todos).

Copa do Brasil

 Até o momento o alvinegro realizou três partidas pela Copa do Brasil, com uma vitória, um empate e uma derrota. Aproveitamento de 44,4%.

 Os artilheiros são Guilherme (2 gols) e Roger (com 1).

 Os jogadores que mais atuaram:

- 3 jogos: Gatito Fernandez (titular em todos); Emerson Santos (titular em todos); Joel Carli (titular em todos); Victor Luis (titular em todos); João Paulo (titular em todos); Camilo (titular em todos); Pimpão (2 como titular); Guilherme (reserva em todos);
- 2 jogos: Airton (titular em todos); Emerson Silva (titular em todos); Bruno Silva (titular em todos); Lindoso (titular em todos); Roger (titular em todos); Matheus Fernandes (reserva nos 2);
- 1 jogo: Sassá (titular); Igor Rabello (titular); Marcelo (começou na reserva); Dudu Cearense (começou na reserva); Fernandes (começou na reserva); Vinícius (começou na reserva).

Campeonato Brasileiro

 Pelo Brasileirão 2017, o alvinegro realizou 16 partidas, com 6 vitórias, 6 empates e 4 derrotas, com aproveitamento de 50%.

 O Glorioso marcou 17 gols e sofreu 14. Dos 17 gols marcados, 11 foram como mandante. Já dos 14 gols sofridos, 7 foram como visitante.

 Os artilheiros do alvinegro são:

- Roger: 6 gols;
- Bruno Silva: 4;
- Lindoso: 2.

 Os jogadores que mais atuaram:

- 15 jogos: Pimpão(14 como titular);
- 14 jogos: João Paulo (titular em todos); Igor Rabello (titular em todos); Roger (13 como titular);
- 13 jogos: Arnaldo (titular em todos); Bruno Silva (titular em todos); Victor Luis (12 como titular);
- 12 jogos: Lindoso (titular em todos); Guilherme (2 como titular);
- 11 jogos: Joel Carli (titular em todos); Matheus Fernandes (10 como titular); Gilson (5 como titular);
- 10 jogos: Gatito (titular em todos);
- 7 jogos: Dudu Cearense (2 como titular); Camilo (5 como titular);
- 6 jogos: Marcelo (5 como titular); Montillo (1 como titular);
- 5 jogos: Jefferson (titular em todos); Marcos Vinícius (3 como titular).

 Estão pendurados com 2 cartões amarelos: Arnaldo, Roger e Dudu Cearense.

 O Botafogo ocupa a 7ª posição na tabela de classificação. Como mandante o alvinegro é o 11º colocado e como visitante é o 8º.

 Saudações alvinegras.