terça-feira, 28 de março de 2017

Números do Botafogo após 15 partidas em 2017

 Considerando o amistoso contra o Rio Branco, no Espírito Santo, o Botafogo realizou até o momento, neste ano, 15 partidas.

 São 8 vitórias, 3 empates e 4 derrotas, com aproveitamento de 60%. Foram 22 gols marcados e 15 sofridos.

 Os jogadores que balançaram as redes adversárias até aqui foram:

- Pimpão: 5 gols;
- Roger: 4 gols;
- Fernandes e Sassá: 2 gols cada;
- Montillo, Marcelo, Airton, Lindoso, Vinícius, Leandro, Victor Luis e Joel: 01 gol cada;
- Ainda houve um gol alvinegro marcado contra pelo Colo-Colo.

 Abaixo está a lista daqueles que mais entraram em campo nas 15 partidas realizadas:

- 12 jogos: Roger (10 como titular);

- 11 jogos: Victor Luis (titular em todos); Bruno Silva (10 como titular); Pimpão (10 como titular);

- 10 jogos: Emerson Silva (titular em todos); Montillo (titular em todos); Gatito Fernandez (9 como titular); Guilherme (3 como titular);  

- 9 jogos: Airton (titular em todos); Camilo (8 como titular).


Amistoso

 A equipe iniciou o ano disputando e vencendo, por 4x0, um amistoso contra o Rio Branco, no Espírito Santo. Gols de Pimpão (2), Montillo e Sassá.


Estadual

 Pelo Estadual foram 9 jogos, com 4 vitórias, 2 empates e 3 derrotas, com aproveitamento de 52%. Foram 12 gols marcados e 11 sofridos.

 Os artilheiros do time são Roger (3 gols) e Fernandes (2 gols).

 Os que mais atuaram:

- 7 jogos: Marcinho (titular em todos); Roger (6 como titular);

- 6 jogos: Leandro (3 como titular); Guilherme (3 como titular); Sassá (titular em 1).

 Só tivemos jogadores suspensos no Estadual após a última rodada, quando Pimpão foi expulso, por dois amarelos recebidos e Victor Luis recebeu o 3º amarelo. Ambos estão impedidos de atuar contra a Portuguesa.


Libertadores

 Pela Libertadores foram 5 partidas até o momento, com 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota, com aproveitamento de 67%. Foram 6 gols marcados e 4 sofridos.

 O artilheiro alvinegro é Pimpão, com 3 gols.

 Marcelo, Emerson Silva, Victor Luis, Airton, Bruno Silva e Pimpão atuaram nas 5 partidas do Glorioso na competição.

 Saudações alvinegras.

domingo, 26 de março de 2017

Vitória que nos manteve no páreo

 Pela 4ª rodada da Taça Rio, o Botafogo foi até Moça Bonita e derrotou o Bangu por 2x0, gols de Joel e Sassá. O resultado manteve o alvinegro vivo na luta pela classificação para as semifinais do 2º turno, assim como para as semifinais do Estadual. Na Taça Rio o Glorioso encontra-se na 3ª posição, com a mesma pontuação do 2º colocado, Nova Iguaçu, mas atrás pelo número de gols marcados.

 O jogo começou e quem assustou de cara foi o adversário, em cabeçada perigosa de Loco Abreu, que Saulo salvou. O time alvinegro comandou o jogo no 1º tempo, chegava sempre próximo à área adversária, mas encontrava dificuldade nas infiltrações. O que esperávamos de Montillo, acabamos vendo mais em João Paulo, que ditou o ritmo no meio. E foi ele, João Paulo, que aos 19 minutos iniciou a jogada do 1º gol, que teve ainda boa participação de Roger e conclusão de Joel.

 O jogo seguia sob o controle do Botafogo, que mesmo sem ser efetivo não tinha a meta de Saulo ameaçada, porém em duas faltas cometidas seguidamente, aos 30 e 33 minutos, Pimpão recebeu dois cartões amarelos e, automaticamente, o vermelho.

 Com um jogador a mais ainda na 1ª etapa, a equipe adversária tentou pressionar o alvinegro, foçou jogadas pelo lado esquerdo de ataque, dando trabalho a Marcinho, mas o jogo foi para o intervalo com a vantagem mínima do Botafogo.

 O alvinegro voltou do intervalo com Fernandes no lugar de Montillo, até porque era importante fortalecer o nosso lado direito, que teve trabalho na 1ª etapa.

 A nossa primeira chegada com perigo na etapa final foi somente aos 21 minutos, em chute de Lindoso. Aos 25 minutos Joel foi substituído por Guilherme e aos 30 foi a vez de Sassá entrar na vaga de Roger.

 O jogo seguia indefinido, com o placar apertado e a gente com um jogador a menos. Aos 37 minutos Sassá fez boa jogada, serviu Fernandes, que concluiu por cima. Dois minutos depois Fernandes sofreu pênalti, ao ser derrubado pelo goleiro e Sassá converteu com categoria aos 40, decretando a vitória alvinegra.

 A equipe atuou bastante modificada. Renan Fonseca e Igor Rabello fizeram a dupla de zaga e não comprometeram. Lindoso e João Paulo também entraram como titulares, assim como o atacante Joel.

 Da partida de hoje destaco a atuação de João Paulo, que conduziu bem o meio de campo, tocando bem a bola, distribuindo o jogo e marcando. Outros destaques foram Fernandes, que entrou muito bem na partida, assim como Sassá, que deu uma incendiada no setor ofensivo.

 Sem poder contar com os suspensos Victor Luis (3º amarelo) e Pimpão (expulso), o alvinegro jogará quinta-feira em Los Larios, contra a Portuguesa.

Lances do jogo

1º tempo

- 3 min: em ataque da equipe adversária, a bola foi cruzada da esquerda, Loco Abreu cabeceou e Saulo fez grande defesa para escanteio;
- 19 min: João Paulo tocou para Roger, que dominou fora da área, chutou forte, o goleiro deu rebote e Joel, mesmo sob marcação, não desperdiçou: 1x0 Fogão!

2º tempo

- 6 min: ataque do time adversário, a bola foi cruzada da direita, a meia altura e atravessou a nossa área com perigo;
- 21 min: Lindoso recebeu de frente para a área e chutou rente ao travessão;
- 37 min: Sassá recebeu na direita, avançou, entrou na área e tocou para trás, na medida para Fernandes, mas a conclusão saiu por cima da meta;
- 39 min: a bola foi tocada para Fernandes na área, que passou pelo goleiro e foi derrubado, com o pênalti sendo assinalado pela arbitragem;
- 40 min: Sassá cobrou a penalidade com categoria, deslocou o goleiro e ampliou: 2x0 Fogão!

Cartões

 Amarelo para Victor Luis, Roger, Fernandes e João Paulo.

 Vermelho para Pimpão (dois amarelos, aos 30 e 33 minutos do 1º tempo).
                                               Escalação/substituições

 Saulo, Marcinho, Renan Fonseca, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso, João Paulo e Montillo (Fernandes); Pimpão, Roger (Sassá) e Joel (Guilherme).

 Saudações alvinegras!

 *Atualizado em 28/03/2017 (acrescentando informação de cartão amarelo para Fernandes, após conferência da súmula da partida).

sexta-feira, 24 de março de 2017

A equipe não voltou do intervalo

 O que justifica uma equipe fazer um 1º tempo tão bom, abrir 2x0 e voltar completamente diferente para a etapa final? Não à toa sofreu três gols, a virada e saiu com a derrota por 3x2 diante do Fluminense.

 Alguns dirão que a saída do Carli, que sofreu uma pancada e foi substituído no intervalo por Renan Fonseca, pode ter influenciado. Em que pese este fato (2x0 com Carli e 0x3 sem ele), não se pode tirar da postura do time no 2º tempo como sendo o fator preponderante para a derrota, quando recuou, acomodou na vantagem de dois gols e deu campo e espaço ao adversário.

 Ainda tivemos Bruno Silva atuando muito aquém das partidas anteriores. Tivemos Montillo participando de boas jogadas no 1º tempo, como no lance do 2º gol, mas caindo junto da equipe na 2ª etapa.

 Tivemos faltas perigosas a nosso favor no fim do jogo, mas cobradas por Victor Luis, mesmo com Camilo em campo, que pega bem na bola.

 Tivemos um árbitro que deu apenas 3 minutos de acréscimos, quando um atacante deles caiu duas vezes seguidas antes de ser substituído. O apitador também não assinalou pênalti para o alvinegro aos 44 minutos da etapa final, quando o zagueiro, ao ser driblado por Guilherme, visivelmente deslocou a perna direita em direção ao nosso atleta.

 Não pode ser deixada de lado a maior disposição do adversário na etapa final, mas se tivéssemos voltado da mesma forma que no 1º tempo o jogo teria ficado, no mínimo, equilibrado. Enfim, lamentável a postura da equipe no 2º tempo, pesando para o revés e servindo como merecido castigo.

Lances do jogo

1º tempo

- 1 min: bola lançada para a área adversária, Victor Luis cabeceou para trás, Emerson Silva chutou, o goleiro espalmou e a zaga cortou;
- 15 min: Pimpão arrancou em contra-ataque pela direita, lançou Roger no ataque, que deixou o marcador para trás e, na saída do goleiro, concluiu para as redes: 1x0 Botafogo;
- 17 min: novamente em jogada pela direita, Pimpão lançou para Camilo na área, mas o meia concluiu mal de cabeça, para fora;
- 20 min: Camilo cobrou falta pela meia esquerda e a bola saiu com muito perigo;
- 25 min: Roger recebeu no meio, tocou para Montillo, que avançou, driblou um marcador e tocou de primeira para Roger cortar um zagueiro, concluir em cima do goleiro, pegar o rebote e mandar para as redes: 2x0 Botafogo;
- 32 min: a equipe adversária cobrou uma falta no travessão;
- 37 min: após cobrança de falta, Saulo fez boa defesa.

2º tempo

- 11 min: um atacante adversário fez uma jogada em velocidade pela direita, entrou na área e sofreu falta de Bruno Silva: pênalti;
- 12 min: na cobrança da penalidade, o adversário diminuiu: 2x1;
- 15 min: em bola cruzada no nosso ataque, Renan Fonseca cabeceou no travessão. No lance seguinte, a equipe adversária atacou, a bola foi tocada no lado esquerdo e o atacante dominou tranquilamente e chutou colocado, forte, no canto alto e empatou a partida: 2x2;
- 23 min: um atacante dominou na esquerda, driblou Airton, entrou na área, chutou cruzado e um zagueiro deles se antecipou à marcação e concluiu para o gol: 2x3;
- 44 min: Guilherme partiu em velocidade pela esquerda, driblou o zagueiro, foi tocado, mas a arbitragem não marcou e deu amarelo para o atacante.

Cartões

 Amarelo para Victor Luis, Airton, Bruno Silva e Guilherme.
                                               Escalação/substituições

 Saulo, Marcinho, Joel Carli (Renan Fonseca), Emerson Silva e Victor Luis; Airton, Bruno Silva, Camilo e Montillo (Guilherme); Pimpão e Roger (Sassá).

 Saudações alvinegras.

domingo, 19 de março de 2017

Poderia te sido mais que um empate no clássico

 O Glorioso enfrentou o Vasco no Nilton Santos, pela 2ª rodada da Taça Rio e empatou por 0x0. Pelo que foi o jogo, poderíamos ter saído do clássico com a vitória, já que mesmo não tendo feito uma partida brilhante, o Botafogo foi superior.

 O treinador escalou a equipe principal, com as exceções sendo Marcinho e Guilherme, nas vagas de Jonas, lesionado, e Pimpão, preservado.

 O 1º tempo começou equilibrado e a equipe adversária chegou com perigo aos 6 e 18 minutos, com Gatito aparecendo muito bem. A partir dos 20 minutos o Glorioso passou a dominar as ações, criou oportunidades e dificuldades para o goleiro e a zaga deles, como um lindo chute de Montillo, de longe, que o goleiro salvou.

 O meia Montillo apareceu bem na 1ª etapa e o jovem Marcinho foi se soltando aos poucos, ganhando confiança. Guilherme não conseguia dar sequência às jogadas pelo lado esquerdo, já que geralmente perdia tempo ao trazer a bola para a perna direita, permitindo a recomposição da marcação adversária.

 A equipe voltou sem alterações para o 2º tempo. Tivemos dois contra-ataques nos primeiros minutos, mas a zaga se antecipou a Roger e Guilherme.

 O treinador substituiu Guilherme por Sassá aos 20 minutos, Camilo por Pimpão aos 28 e Airton por João Paulo aos 36.

 Diferente da 1ª etapa, o jogo seguia sem muitas chances, o que veio a ocorrer nos 10 minutos finais: aos 38 Marcinho arriscou um chute perigoso, desviado para escanteio; aos 41 Gatito fez duas defesas em sequência, após falta e escanteio; aos 42 a grande chance do Botafogo, quando Pimpão recebeu em contra-ataque, mas concluiu mal.

 Gatito fez boas defesas na partida. Marcinho merece receber mais oportunidades. A dupla Bruno Silva/Airton mais uma vez foi bem. Montillo bem no 1º tempo. Com Sassá à disposição, não podemos entrar com Guilherme como titular.

 Lances do jogo

1º tempo

- 6 min: um adversário cobrou falta pelo lado esquerdo, Bruno Silva raspou de cabeça, a bola bateu em Airton, Gatito defendeu e a zaga cortou;
- 18 min: cruzamento da esquerda para a nossa área, um jogador adversário cabeceou forte, Gatito defendeu, o meia deles pegou o rebote e concluiu livre, mas Gatito, no reflexo, esticou o braço esquerdo e fez grande defesa para escanteio, porém a arbitragem assinalou impedimento;
- 26 min: Airton tocou para Montillo na direita, que cruzou forte para a área, mas Roger não alcançou a bola;
- 34 min: Montillo recebeu de frente para a área, chutou forte e o goleiro se esticou e mandou para escanteio;
- 36 min: Montillo tocou para Bruno Silva, que chutou de fora da área, a bola desviou na zaga e o goleiro mandou para escanteio.

2º tempo

- 4 min: em contra-ataque, Roger tocou para Camilo, que avançou pela direita, cruzou de volta para Roger, mas a zaga interceptou a jogada;
- 8 min: Guilherme recebeu no ataque, mas já na área a zaga se antecipou e mandou para escanteio;
- 13 min: Camilo cobrou falta pela esquerda, Emerson Silva subiu, não conseguiu cabecear e a bola bateu em sua perna e sobrou para o goleiro;
- 38 min: Marcinho pegou rebote, cortou para o meio, chutou e a bola foi desviada para escanteio;
- 41 min: após cobrança de falta da esquerda, Gatito mandou para escanteio. Na cobrança, fechada, Gatito novamente defendeu para escanteio;
- 42 min: em contra-ataque, Sassá recebeu na meia esquerda, fez um grande lançamento para Pimpão na direita, que avançou e na saída do goleiro concluiu mal, fraco, perdendo grande chance.

Cartões

 Amarelo para Victor Luis, Emerson Silva, Roger e João Paulo.
                                               Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Marcinho, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (João Paulo), Bruno Silva, Camilo (Pimpão) e Montillo; Guilherme (Sassá) e Roger.

 Saudações alvinegras.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Na raça, na vontade!

 Assim foi o início do Botafogo na fase de grupos da Libertadores, com vitória por 2x1 sobre o Estudiantes, na base da raça, da vontade, da determinação. O Glorioso, mais uma vez, fez o dever de casa e larga na ponta do grupo 1, ao lado do Barcelona de Guayaquil, que, atuando em casa, derrotou o atual campeão, Atlético Nacional, também por 2x1.

 Com o Estádio Nilton Santos contando com 30 mil alvinegros e debaixo de chuva, o Botafogo começou o jogo tendo a bola, mas sem conseguir criar chances. Na realidade, nos primeiros 25 minutos, quem assustou foi a equipe argentina, em chute de longe, que saiu com perigo e em contra-ataque, que Gatito salvou com a perna.

 Com a marcação adversária muito apertada, Camilo e Montillo não conseguiam dar sequência às jogadas, mas aos 33, em jogada aérea, Roger marcou um golaço, trazendo alívio para os alvinegros. Depois do gol, ocorreu uma chance para cada equipe, a nossa com Camilo, em chute de longe.

 O Glorioso voltou para a 2ª etapa imprimindo um ritmo mais forte no campo de ataque, tentando chegar logo ao 2º gol, mas com bolas cruzadas não obteve êxito. Aos 14 Marcelo cometeu falta na entrada da área e na cobrança, aos 16, o time argentino empatou o jogo.

 Aos 23 o treinador tirou Montillo e colocou Sassá, que com um minuto em campo já driblava no meio e sofria falta e aos 33 fez boa jogada pela esquerda, que acabou resultando no nosso segundo gol, marcado por Pimpão.

Aos 34 foi a vez de Guilherme ser colocado em campo por Jair, substituindo Roger. O alvinegro ficou bem postado defensivamente e o adversário não mais assustou. O Botafogo é que poderia ter ampliado no final, em três oportunidades, sendo uma com Guilherme, outra com Sassá e mais uma com Pimpão. Ainda no final, Camilo foi substituído por Lindoso.

 Tecnicamente falando, o Glorioso não fez uma grande partida, mas podemos dizer que fez um bom jogo em termos de aplicação tática, além de muita luta. Essa equipe não desiste, não esmorece, busca seus objetivos até o fim e tem sido bem sucedida.

Lances do jogo

1º tempo  

- 17 min: um adversário chutou de longe e a bola saiu com muito perigo;
- 24 min: após perdermos a bola junto da linha de meio de campo, um atacante partiu em velocidade, entrou na área, concluiu e Gatito salvou com a perna;
- 31 min: Camilo, em cobrança de falta da esquerda, lançou na área, Carli subiu sem marcação, mas cabeceou para fora;
- 33 min: Montillo tocou para Marcelo na direita, que lançou na área, Bruno Silva tentou de voleio, pegou mal na bola, mas a pelota sobrou para Roger, que deu uma puxada e marcou um golaço: 1x0 Fogão!
- 39 min: a equipe adversária cobrou falta no lado direito, em direção à nossa área, a bola foi cabeceada com perigo, porém para fora;
- 45 min: Camilo dominou a bola no campo de ataque, de frente para a área, chutou forte, alto, colocado e o goleiro mandou para escanteio.

2º tempo

- 14 min: em ataque do Estudiantes, Marcelo tentou chegar antes do atacante e cortar a bola, mas errou o bote e cometeu falta na entrada da área, recebendo cartão amarelo;
- 16 min: a equipe adversária cobrou a falta na entrada da área e a bola foi para as redes: 1x1;
- 33 min: Sassá recebeu de Victor Luis na esquerda, deixou um marcador para trás, avançou, mandou para a área, Camilo tentou completar de primeira, a bola bateu em um zagueiro e acabou sobrando para Pimpão, que girou o corpo, chutou no canto, a bola beijou a trave e entrou: 2x1 Fogão!
- 40 min: Guilherme arrancou em velocidade, entrou na área, mas chutou por cima;
- 43 min: Sassá puxou contra-ataque, mas não tocou a bola e acabou desperdiçando a chance;
- 48 min: Sassá ganhou a bola, tocou para Guilherme, que lançou para Pimpão chutar e o goleiro espalmar.

Cartões

 Amarelo para Marcelo e Bruno Silva.
                                               Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Marcelo, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Airton, Bruno Silva, Camilo (Lindoso) e Montillo (Sassá); Pimpão e Roger (Guilherme).

 Saudações alvinegras!

segunda-feira, 13 de março de 2017

É amanhã! Enquanto alguns duvidam, nós seguimos acreditando

 Nesta terça-feira terá início nossa jornada na fase de grupos da Libertadores. Lutamos muito para estar aqui, foi suado, mas chegamos.

 Superamos a descrença de alguns (ou seriam muitos?), entre estes, jornalistas, que cravaram, já em 2016, a equipe alvinegra como uma das favoritas ao rebaixamento. Enfim, terminamos a competição nacional entre os classificados para a Libertadores e aqui estamos.

 Depois veio o sorteio para os confrontos da fase que antecedeu a de grupos, além da definição dos integrantes destes. Terminada a realização do sorteio, muitos nos decretaram eliminados ali, já que enfrentaríamos o Colo-Colo e, se avançássemos, o próximo adversário seria Olímpia ou Independiente Del Valle, atual vice-campeão da Libertadores.

 Pois bem, eliminamos o Colo-Colo e logo depois o Olímpia, com o Estádio Nilton Santos repleto de alvinegros, que acreditaram na superação da equipe e, consequentemente, na classificação, com alguns ainda se fazendo presentes nas partidas no Chile e no Paraguai. A equipe também se doou em campo, se superou, honrou a camisa do Glorioso e agora estreará na fase de grupos.

 É importante ficar claro que quando nos referimos aos descrentes e aos que torcem contra, que não estamos generalizando. Sejamos justos que não são todos assim. O fato de alguém discordar de qualquer questão pontual do clube, não é necessariamente por má vontade. Há casos e casos. Até porque já observamos a postura de vários jornalistas que não são botafoguenses e que se mostram profissionais, respeitando o Botafogo, a sua história e a sua grandeza. Diríamos até que alguns, ao fazer a cobertura do clube, passaram a admirá-lo. A estes, nosso total respeito.

 Já aqueles que duvidam, por despeito, por desmerecimento, por simplesmente torcer contra, podem continuar assim, pois pequenos são eles. Enquanto isso a gente continuará acreditando e ao lado do Botafogo!

 O pouco caso de alguns pode até ser utilizado como forma de mexer com os brios do elenco para as partidas, mas o melhor combustível é a presença da torcida alvinegra no Nilton Santos, lotando a arquibancada e empurrando o time para a vitória. E amanhã há de ser assim!

 Saudações alvinegras.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Treino de Luxo

 O Botafogo recebeu e venceu o Volta Redonda por 1x0, no Nilton Santos, nesta quinta-feira. A partida foi válida pela primeira rodada da Taça Rio, mas serviu como um treino de luxo e para dar ritmo à equipe, visando o jogo pela Libertadores na próxima terça-feira, contra o Estudiantes, também no Nilton Santos.

 A equipe não foi brilhante, mas jogou o suficiente para vencer a partida. Camilo, Montillo e Pimpão, embora tenham se empenhado, não estavam em noite inspirada. Tivemos mais casos de lesões e isso continua incomodando bastante.

 Partidas pelo Estadual não têm atraído bom público, mas hoje foram 11 mil alvinegros presentes no Nilton Santos, muito bom para uma quinta-feira a noite.

 O 1º tempo foi de domínio do Botafogo, porém sem criar muitas chances. A melhor oportunidade foi em bola tocada por Roger para Montillo, mas a defesa salvou para escanteio. Além disso, o time chegava pelo lado direito, com cruzamentos para a área adversária. Quem assustou de fato na etapa inicial foi a equipe da cidade do aço, que obrigou Gatito a salvar uma bola com o pé, além de cobrar uma falta no travessão.

 O Glorioso voltou do intervalo com Leandro e João Paulo, nas vagas de Jonas e Matheus Fernandes, que sentiram problemas físicos no final da 1ª etapa.

 Logo com um minuto da etapa final, Victor Luis cobrou falta da direita, Carli raspou de cabeça e saiu nosso gol. Segundo a reportagem, o gol foi assinalado pela arbitragem para Victor Luis. Roger ainda teve duas chances e Pimpão uma, mas a partir dos 20 minutos o alvinegro procurou apenas administrar o resultado, enquanto o adversário chegou apenas uma vez, em chute cruzado que Gatito defendeu.

 Leandro também sentiu uma lesão e deixou a partida, sendo substituído por Marcelo. Logo depois foi Camilo que sentiu, aparentemente câimbras, sendo atendido alguns minutos fora do campo. Depois voltou, mas visivelmente sem plenas condições.

Lances do jogo

1º tempo

- 11 min: Roger tocou de cabeça para Montillo, que dominou na área, driblou um marcador, passou pelo goleiro, concluiu e um zagueiro cortou para escanteio;
- 12 min: em rápido contra-ataque, um jogador do Volta Redonda recebeu livre na área, concluiu e Gatito salvou com o pé;
- 20 min: a equipe adversária cobrou uma falta na entrada da área e a bola acertou o travessão alvinegro;
- 26 min: Pimpão recebeu na área, rolou para Camilo, que chutou da meia lua, rente à trave.

2º tempo

- 1 min: Victor Luis cobrou falta da direita, Carli subiu, raspou de cabeça e a bola foi para as redes: 1x0 Fogão! Segundo informações, a arbitragem assinalou o gol para Victor Luis;
- 4 min: Victor Luis lançou Camilo na direita, que cruzou para a área, mas Roger pegou muito mal na bola;
- 7 min: Montillo cruzou para a área, Roger dominou, girou o corpo, chutou e o goleiro defendeu;
- 18 min: Camilo tocou para Roger na direita, que mandou para a área e Pimpão concluiu rente à trave;
- 34 min: em ataque da equipe adversária, a bola foi na área, pelo lado esquerdo, saiu um chute cruzado e Gatito espalmou.

Cartões

 Amarelo para Marcelo.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Jonas (Leandro) (Marcelo), Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Matheus Fernandes (João Paulo), Bruno Silva, Camilo e Montillo; Pimpão e Roger.

 Saudações alvinegras!

segunda-feira, 6 de março de 2017

Enfim, quinta teremos Botafogo em campo

 Hoje se completam 12 dias sem o Glorioso em campo. Na última vez, a emocionante classificação, nos pênaltis, para a fase de grupos da Libertadores.

 A equipe vinha treinando, teve uma pequena folga em parte do carnaval e agora a preparação será intensificada, visando o jogo da próxima quinta-feira, pela primeira rodada da Taça Rio e o jogo da terça-feira da semana seguinte, estreando na fase de grupos da Libertadores. Ambos os jogos serão realizados no Estádio Nilton Santos e enfrentaremos o Volta Redonda pela Estadual e o Estudiantes, da Argentina, pela Libertadores.

 O treinador Jair fechou parte do treino desta segunda-feira e não se sabe qual a formação que ele pretende colocar em campo na quinta-feira, quando terão passados 15 dias da última partida e seria importante dar ritmo de jogo à equipe. Deveria ser feita uma avaliação e quem não estiver 100% que seja poupado. No mais, é colocar em campo quase a força máxima, dar ritmo ao time, visando o jogo que mais importa, que é pela Libertadores, contra o Estudiantes.

 Há sempre o risco de contusões? Sim, há, mas as mesmas podem ocorrer até nos treinamentos. Me preocupa a falta de ritmo de jogo. Três dias separarão a partida pelo Estadual da partida pela Libertadores, tempo suficiente para repor as energias, até porque não haverá desgaste de viagem.

 Uma posição que preocupa e precisa ser bem avaliada é a de goleiro, já que no momento o suplente imediato de Gatito é o jovem e promissor Saulo, mas, pensando em Libertadores, não podemos ficar sem o goleiro paraguaio.

 Durante a semana teremos noção do planejamento da comissão técnica, a não ser que façam mistério até momentos antes da partida.

 Saudações alvinegras. 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O nosso paraguaio fez a diferença em Assunção

 O Glorioso avançou para a fase de grupos da Libertadores. E, como já era esperado, foi sofrido. Após a derrota por 1x0 nos 90 minutos, a classificação veio na disputa de penalidades máximas, com Gatito Fernandez defendendo três cobranças, sendo uma de um lado, outra do outro lado e mais uma no meio do gol. Camilo, Pimpão e Victor Luis converteram para o Botafogo, decretando a vitória por 3x1.

 O Glorioso figurará no grupo que tem Atlético Nacional, da Colômbia, Barcelona, do Equador e Estudiantes, da Argentina. O primeiro compromisso será dia 14 de março, no Nilton Santos, contra a equipe argentina.

 No Paraguai a equipe alvinegra entrou em campo com Marcelo atuando no lugar do suspenso Jonas e com Carli na zaga, estreando na competição. O treinador colocou Matheus Fernandes como titular, junto com Airton, Bruno Silva, Camilo e João Paulo. Pimpão ficou mais avançado.

 O time esteve bem postado em campo na 1ª etapa, mas não conseguiu encaixar jogadas que levassem perigo ao adversário. O mais próximo foi por meio de um chute cruzado de Pimpão, mas o goleiro segurou firme. Por outro lado, a equipe paraguaia também encontrou dificuldades com a marcação alvinegra e somente assustou aos 43 minutos, após chute de longe que Helton Leite espalmou para o lado e Victor Luis afastou de vez.

 A equipe foi para o intervalo com o 0x0, placar favorável para a classificação, mas com Marcelo e Carli com cartões amarelos. Na volta para o 2º tempo, uma surpresa, o treinador tirou Matheus Fernandes e colocou o lateral Gilson. Confesso que não entendi e nem gostei da alteração. A explicação do Jair, após o jogo, foi que Bruno Silva havia sido colocado para ajudar Victor Luis pelo lado esquerdo e tentar fazer o corredor, mas não funcionou e ele tentou João Paulo, mas também não ficou satisfeito, optando, então, pela entrada de Gilson.

 A 2ª etapa foi bem mais difícil, já que a equipe, mesmo que tenha sido de forma inconsciente, parou de jogar, deu campo ao adversário e ficou fechada, com o jogo virando um ataque contra defesa. O adversário exercia pressão, chutou duas vezes a gol nos primeiros 10 minutos, mas ambos para fora.

 Aos 17 minutos Helton Leite, que sentiu uma contusão, foi substituído por Gatito Fernandez. Não imaginávamos que aquela alteração acabaria sendo decisiva para a nossa classificação.

 O jogo permanecia difícil. Aos 28 Pimpão foi lançado na área e em minha opinião foi atropelado pelo goleiro, mas o juiz considerou como uma trombada normal. Aos 31 Gatito defendeu um chute da entrada da área, mas três minutos depois não houve jeito, quando Marcelo tentou cortar, a bola bateu em um adversário e sobrou na área para outro jogador paraguaio, que concluiu cruzado e abriu o placar. Aos 40 minutos Guilherme entrou no lugar de Airton, mas nada mais aconteceu, o jogo foi encerrado e fomos para a disputa de penalidades máximas.

 O primeiro pênalti foi cobrado por um jogador adversário e Gatito se esticou e espalmou. Camilo cobrou bem e nos colocou em vantagem. Outra cobrança deles e mais uma vez Gatito, no meio do gol, com tranquilidade, espalmou. Pimpão foi para a cobrança e converteu, fazendo 2x0. O adversário fez a terceira cobrança e dessa vez converteu. Victor Luis foi o próximo e guardou o dele: 3x1. A quarta cobrança do time adversário esbarrou mais uma vez na defesa de Gatito, que nos garantiu a vitória na disputa de pênaltis e, consequentemente, a classificação para a fase de grupos.

 Esse grupo de jogadores do Botafogo mereceu a classificação, pelo empenho, pela luta, por honrar a gloriosa camisa do Botafogo.

Cartões

 Amarelo para Marcelo, Joel Carli e Bruno Silva.
                                               Escalação/substituições

 Helton Leite (Gatito Fernandez), Marcelo, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Guilherme), Bruno Silva, Matheus Fernandes (Gilson), João Paulo e Camilo; Pimpão.

 Saudações alvinegras!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A formação para quarta-feira

 A ansiedade pela partida desta quarta-feira pela Libertadores é enorme. A equipe alvinegra já se encontra em solo paraguaio e agora é contar as horas para o jogo.

 Fica no ar a dúvida sobre qual formação o treinador Jair Ventura colocará em campo. O treinador estudou o adversário e já deve ter definida a equipe titular.

 Gatito viajou com o elenco. Será que entrará como titular ou Helton Leite será mantido?

 Na lateral direita, com Jonas suspenso, poderia entrar o jovem Marcinho, suplente imediato, mas a tendência é que o zagueiro Marcelo seja improvisado na posição. Já atuou por ali em sua estreia pelos profissionais, contra o Fluminense e foi bem.

 A zaga deve ser formada por Joel Carli e Emerson Silva. O retorno o zagueiro argentino ajudará bastante na tentativa de neutralizar as jogadas aéreas da equipe paraguaia.

 Do meio para a frente, podemos dar como certas as presenças de Airton, Bruno Silva, Camilo e Pimpão. As duas vagas restantes ficarão entre Lindoso, João Paulo e Roger.

 Se quiser fechar o time e explorar jogadas de velocidade, ele deixará Roger como opção no banco, atacando, quando tiver a bola, com João Paulo, Camilo, Pimpão e avanços de Bruno Silva. São jogadores mais ágeis, de bastante movimentação, importantes tanto para contra-ataques, quanto na volta para ajudar na marcação.

 Caso a opção seja colocar Roger como titular, deixando Lindoso ou João Paulo no banco, as jogadas de ataque ficam um pouco mais cadenciadas, com o atacante fazendo o pivô e possibilitando a abertura de espaços na defesa adversária. A recomposição defensiva, neste caso, é que preocuparia.

 Particularmente prefiro a primeira opção, mas há torcedores que gostam mais da segunda. De qualquer forma, a decisão é do Jair e devemos torcer para que a formação que ele escolher para iniciar a partida renda o esperado e nos traga a classificação.

 Amanhã é o dia!

 Saudações alvinegras.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Vitória pelo Estadual enquanto quarta-feira não chega

 Já sem chances de avançar para as semifinais da Taça Guanabara e com o pensamento no jogo de volta pela Libertadores, na próxima quarta-feira, o Botafogo visitou o Boavista e venceu por 3x2, de virada, atuando com a equipe reserva e com o retorno do zagueiro Joel Carli.

 Em função de viagem, foi possível acompanhar apenas a 2ª etapa da partida. No 1º tempo a equipe alvinegra sofreu dois gols: o primeiro aos 27, em jogada pela direita, com cruzamento rasteiro para a pequena área e conclusão junto ao 2º pau; o 2º gol saiu aos 31 minutos, quando, após escanteio da direita, a bola bateu em um defensor alvinegro e sobrou para o atacante adversário escorar para as redes.

 O Glorioso conseguiu diminuir aos 39, com Fernandes, que recebeu na área, pela esquerda, cortou para o meio, chutou no canto e fez o time ir para o intervalo com um prejuízo menor.

 Logo no início da 2ª etapa, aos 3 minutos, Leandro tocou para Vinícius na área, que deixou de calcanhar para Lindoso, este rolou para Fernandes, que ajeitou na área, pelo lado direito, chutou forte e empatou a partida. O Botafogo, mesmo sem ser brilhante, continuou superior ao adversário na etapa final e chegou ao gol da virada aos 18 minutos, quando Fernandes cruzou da direita, o zagueiro cortou parcialmente de cabeça para o meio da área, Leandro pegou a sobra e chutou para as redes: 3x2 Fogão!

 O treinador alvinegro começou a mexer na equipe, sacando Vinícius para o retorno de Sassá, depois tirou Fernandes e colocou Pachu em campo e por fim substituiu Leandro por Yuri. O placar não mais se alterou, mas o Glorioso teve duas oportunidades com Sassá, escorando cruzamento de Gilson, para defesa do goleiro e ao puxar um contra-ataque em velocidade, chutar cruzado e o goleiro espalmar a bola.

 Há de se destacar a atuação de Fernandes, com dois gols e uma assistência, assim como os retornos de Joel Carli e Sassá, que passam a ser opções para o treinador Jair Ventura.

 Mesmo sem chances de classificação na Taça Guanabara, a vitória foi importante para o somatório de pontos ao final dos dois turnos, que definirá os participantes das semifinais do Estadual.   

Cartões

 Amarelo para Fernandes, Marcinho e Carli.

Escalação/substituições

 Helton Leite, Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Dudu Cearense, Lindoso, Fernandes (Pachu) e Leandro (Yuri); Joel e Vinícius (Sassá).

 Saudações alvinegras!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Mais uma vez temos a vantagem!

 Uma vitória importantíssima obtida pelo Botafogo sobre o Olímpia, no Nilton Santos. O placar de 1x0, pela Libertadores, fará o Glorioso viajar ao Paraguai em vantagem, melhor até do que a obtida contra o Colo-Colo (2x1), já que ao não levar gol aqui, se marcar na casa do adversário, obrigará os paraguaios a vencer por 2 gols ou mais de diferença.

 O alvinegro começou com a posse de bola, mas encontrou certa dificuldade por precisar propor o jogo, já que tem se saído melhor jogando mais fechado. Outro fator relevante é que não enfrentamos um adversário qualquer, o confronto é difícil.

 Chegamos logo nos primeiros minutos de jogo, com Airton, que pegou rebote, mas o goleiro interceptou. A primeira chegada da equipe adversária foi em jogada aérea aos 9 minutos. Aos 13, Montillo sentiu uma contusão, que segundo informações é diferente da que o fez ser dúvida para o jogo. João Paulo o substituiu, mas visivelmente o time e a torcida sentiram, pelo menos momentaneamente. A equipe aos poucos foi se reencontrando em campo e aos 36 abriu o placar, com um golaço de Pimpão.

 O Botafogo voltou do intervalo com Guilherme no lugar de Bruno Silva, que também sentiu uma lesão. O adversário assustou nos primeiros minutos, em cruzamento a meia altura. O alvinegro chegou com perigo em passe de Pimpão, que Roger mandou para fora. Aos 18 minutos Helton Leite fez grande defesa, após chute forte na nossa área. Organizamos uma boa jogada, iniciada por Marcelo, mas o zagueiro foi mais rápido que Roger e cortou. Um minuto depois, Roger teve outra chance, mas cabeceou por cima.

 A equipe adversária passou a exercer certa pressão, em busca do empate. Nosso treinador substituiu Airton por Matheus Fernandes. Eles continuaram pressionando, mas assustaram mesmo somente aos 42, quando Jonas cortou na pequena área.

 O árbitro, sobretudo na primeira etapa, marcou faltas demais para a equipe adversária, algumas questionáveis em minha opinião. No 2º tempo Guilherme avançou pela esquerda e, na área, foi aparentemente tocado pelo marcador, mas o juiz ignorou.

 Os aproximadamente 30 mil alvinegros presentes no Nilton Santos incentivaram bastante a equipe. Festa com direito a um lindo mosaico.

 O lateral Jonas recebeu o 3º amarelo e está fora do jogo da volta.

 Mais uma vez a equipe lutou bastante, sendo recompensada com a vitória. Roger buscou fazer o pivô, mas ficou devendo hoje. Outro que não entrou tão ligado como os companheiros foi Guilherme. Talvez preocupado em ajudar na marcação, não produziu jogadas ofensivas, em velocidade, conforme era esperado.

 O jovem Marcelo mais uma vez foi um gigante em campo.

 Agora é torcer pelas recuperações de Montillo e Bruno Silva, a tempo de estarem em campo no Paraguai.

Lances do jogo

1º tempo

- 4 min: Airton pegou rebote na área, chutou em cima de Roger, a bola voltou para Airton chutar e o goleiro defender;
- 36 min: Jonas cobrou lateral para a área, Roger subiu junto com o zagueiro, a bola sobrou para Pimpão na marca do pênalti, que mandou de bicicleta ou de puxada, como preferir e marcou um golaço: 1x0 Fogão!
- 38 min: após bola perdida no meio de campo, sofremos contra-ataque, a bola foi na nossa área, com perigo, mas Helton Leite sofreu falta.

2º tempo

- 4 min: bola cruzada, passou por Helton Leite e saiu com certo perigo;
- 13 min: Pimpão tocou boa bola para Roger na área, que chutou cruzado, para fora;
- 18 min: bola lançada na nossa área, dois alvinegros se esbarraram e a bola sobrou para um paraguaio chutar forte e Helton Leite defender;
- 33 min: Marcelo lançou Camilo na direita, que tocou para Pimpão, este rolou para Roger, mas antes que ele concluísse, o zagueiro cortou;  
- 34 min: Pimpão cruzou da direita, o goleiro não achou a bola e Roger cabeceou, porém para fora, rente ao travessão.
- 42 min: após falta cobrada para a nossa área, com perigo, Jonas cortou na pequena área e Matheus Fernandes mandou para escanteio.

Cartões

 Amarelo para Jonas e Airton.
   
Escalação/substituições

Helton Leite, Jonas, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Matheus Fernandes), Bruno Silva (Guilherme), Camilo e Montillo (João Paulo); Pimpão e Roger.

 Saudações alvinegras!