quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O nosso paraguaio fez a diferença em Assunção

 O Glorioso avançou para a fase de grupos da Libertadores. E, como já era esperado, foi sofrido. Após a derrota por 1x0 nos 90 minutos, a classificação veio na disputa de penalidades máximas, com Gatito Fernandez defendendo três cobranças, sendo uma de um lado, outra do outro lado e mais uma no meio do gol. Camilo, Pimpão e Victor Luis converteram para o Botafogo, decretando a vitória por 3x1.

 O Glorioso figurará no grupo que tem Atlético Nacional, da Colômbia, Barcelona, do Equador e Estudiantes, da Argentina. O primeiro compromisso será dia 14 de março, no Nilton Santos, contra a equipe argentina.

 No Paraguai a equipe alvinegra entrou em campo com Marcelo atuando no lugar do suspenso Jonas e com Carli na zaga, estreando na competição. O treinador colocou Matheus Fernandes como titular, junto com Airton, Bruno Silva, Camilo e João Paulo. Pimpão ficou mais avançado.

 O time esteve bem postado em campo na 1ª etapa, mas não conseguiu encaixar jogadas que levassem perigo ao adversário. O mais próximo foi por meio de um chute cruzado de Pimpão, mas o goleiro segurou firme. Por outro lado, a equipe paraguaia também encontrou dificuldades com a marcação alvinegra e somente assustou aos 43 minutos, após chute de longe que Helton Leite espalmou para o lado e Victor Luis afastou de vez.

 A equipe foi para o intervalo com o 0x0, placar favorável para a classificação, mas com Marcelo e Carli com cartões amarelos. Na volta para o 2º tempo, uma surpresa, o treinador tirou Matheus Fernandes e colocou o lateral Gilson. Confesso que não entendi e nem gostei da alteração. A explicação do Jair, após o jogo, foi que Bruno Silva havia sido colocado para ajudar Victor Luis pelo lado esquerdo e tentar fazer o corredor, mas não funcionou e ele tentou João Paulo, mas também não ficou satisfeito, optando, então, pela entrada de Gilson.

 A 2ª etapa foi bem mais difícil, já que a equipe, mesmo que tenha sido de forma inconsciente, parou de jogar, deu campo ao adversário e ficou fechada, com o jogo virando um ataque contra defesa. O adversário exercia pressão, chutou duas vezes a gol nos primeiros 10 minutos, mas ambos para fora.

 Aos 17 minutos Helton Leite, que sentiu uma contusão, foi substituído por Gatito Fernandez. Não imaginávamos que aquela alteração acabaria sendo decisiva para a nossa classificação.

 O jogo permanecia difícil. Aos 28 Pimpão foi lançado na área e em minha opinião foi atropelado pelo goleiro, mas o juiz considerou como uma trombada normal. Aos 31 Gatito defendeu um chute da entrada da área, mas três minutos depois não houve jeito, quando Marcelo tentou cortar, a bola bateu em um adversário e sobrou na área para outro jogador paraguaio, que concluiu cruzado e abriu o placar. Aos 40 minutos Guilherme entrou no lugar de Airton, mas nada mais aconteceu, o jogo foi encerrado e fomos para a disputa de penalidades máximas.

 O primeiro pênalti foi cobrado por um jogador adversário e Gatito se esticou e espalmou. Camilo cobrou bem e nos colocou em vantagem. Outra cobrança deles e mais uma vez Gatito, no meio do gol, com tranquilidade, espalmou. Pimpão foi para a cobrança e converteu, fazendo 2x0. O adversário fez a terceira cobrança e dessa vez converteu. Victor Luis foi o próximo e guardou o dele: 3x1. A quarta cobrança do time adversário esbarrou mais uma vez na defesa de Gatito, que nos garantiu a vitória na disputa de pênaltis e, consequentemente, a classificação para a fase de grupos.

 Esse grupo de jogadores do Botafogo mereceu a classificação, pelo empenho, pela luta, por honrar a gloriosa camisa do Botafogo.

Cartões

 Amarelo para Marcelo, Joel Carli e Bruno Silva.
                                               Escalação/substituições

 Helton Leite (Gatito Fernandez), Marcelo, Joel Carli, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Guilherme), Bruno Silva, Matheus Fernandes (Gilson), João Paulo e Camilo; Pimpão.

 Saudações alvinegras!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A formação para quarta-feira

 A ansiedade pela partida desta quarta-feira pela Libertadores é enorme. A equipe alvinegra já se encontra em solo paraguaio e agora é contar as horas para o jogo.

 Fica no ar a dúvida sobre qual formação o treinador Jair Ventura colocará em campo. O treinador estudou o adversário e já deve ter definida a equipe titular.

 Gatito viajou com o elenco. Será que entrará como titular ou Helton Leite será mantido?

 Na lateral direita, com Jonas suspenso, poderia entrar o jovem Marcinho, suplente imediato, mas a tendência é que o zagueiro Marcelo seja improvisado na posição. Já atuou por ali em sua estreia pelos profissionais, contra o Fluminense e foi bem.

 A zaga deve ser formada por Joel Carli e Emerson Silva. O retorno o zagueiro argentino ajudará bastante na tentativa de neutralizar as jogadas aéreas da equipe paraguaia.

 Do meio para a frente, podemos dar como certas as presenças de Airton, Bruno Silva, Camilo e Pimpão. As duas vagas restantes ficarão entre Lindoso, João Paulo e Roger.

 Se quiser fechar o time e explorar jogadas de velocidade, ele deixará Roger como opção no banco, atacando, quando tiver a bola, com João Paulo, Camilo, Pimpão e avanços de Bruno Silva. São jogadores mais ágeis, de bastante movimentação, importantes tanto para contra-ataques, quanto na volta para ajudar na marcação.

 Caso a opção seja colocar Roger como titular, deixando Lindoso ou João Paulo no banco, as jogadas de ataque ficam um pouco mais cadenciadas, com o atacante fazendo o pivô e possibilitando a abertura de espaços na defesa adversária. A recomposição defensiva, neste caso, é que preocuparia.

 Particularmente prefiro a primeira opção, mas há torcedores que gostam mais da segunda. De qualquer forma, a decisão é do Jair e devemos torcer para que a formação que ele escolher para iniciar a partida renda o esperado e nos traga a classificação.

 Amanhã é o dia!

 Saudações alvinegras.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Vitória pelo Estadual enquanto quarta-feira não chega

 Já sem chances de avançar para as semifinais da Taça Guanabara e com o pensamento no jogo de volta pela Libertadores, na próxima quarta-feira, o Botafogo visitou o Boavista e venceu por 3x2, de virada, atuando com a equipe reserva e com o retorno do zagueiro Joel Carli.

 Em função de viagem, foi possível acompanhar apenas a 2ª etapa da partida. No 1º tempo a equipe alvinegra sofreu dois gols: o primeiro aos 27, em jogada pela direita, com cruzamento rasteiro para a pequena área e conclusão junto ao 2º pau; o 2º gol saiu aos 31 minutos, quando, após escanteio da direita, a bola bateu em um defensor alvinegro e sobrou para o atacante adversário escorar para as redes.

 O Glorioso conseguiu diminuir aos 39, com Fernandes, que recebeu na área, pela esquerda, cortou para o meio, chutou no canto e fez o time ir para o intervalo com um prejuízo menor.

 Logo no início da 2ª etapa, aos 3 minutos, Leandro tocou para Vinícius na área, que deixou de calcanhar para Lindoso, este rolou para Fernandes, que ajeitou na área, pelo lado direito, chutou forte e empatou a partida. O Botafogo, mesmo sem ser brilhante, continuou superior ao adversário na etapa final e chegou ao gol da virada aos 18 minutos, quando Fernandes cruzou da direita, o zagueiro cortou parcialmente de cabeça para o meio da área, Leandro pegou a sobra e chutou para as redes: 3x2 Fogão!

 O treinador alvinegro começou a mexer na equipe, sacando Vinícius para o retorno de Sassá, depois tirou Fernandes e colocou Pachu em campo e por fim substituiu Leandro por Yuri. O placar não mais se alterou, mas o Glorioso teve duas oportunidades com Sassá, escorando cruzamento de Gilson, para defesa do goleiro e ao puxar um contra-ataque em velocidade, chutar cruzado e o goleiro espalmar a bola.

 Há de se destacar a atuação de Fernandes, com dois gols e uma assistência, assim como os retornos de Joel Carli e Sassá, que passam a ser opções para o treinador Jair Ventura.

 Mesmo sem chances de classificação na Taça Guanabara, a vitória foi importante para o somatório de pontos ao final dos dois turnos, que definirá os participantes das semifinais do Estadual.   

Cartões

 Amarelo para Fernandes.

Escalação/substituições

 Helton Leite, Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Dudu Cearense, Lindoso, Fernandes (Pachu) e Leandro (Yuri); Joel e Vinícius (Sassá).

 Saudações alvinegras!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Mais uma vez temos a vantagem!

 Uma vitória importantíssima obtida pelo Botafogo sobre o Olímpia, no Nilton Santos. O placar de 1x0, pela Libertadores, fará o Glorioso viajar ao Paraguai em vantagem, melhor até do que a obtida contra o Colo-Colo (2x1), já que ao não levar gol aqui, se marcar na casa do adversário, obrigará os paraguaios a vencer por 2 gols ou mais de diferença.

 O alvinegro começou com a posse de bola, mas encontrou certa dificuldade por precisar propor o jogo, já que tem se saído melhor jogando mais fechado. Outro fator relevante é que não enfrentamos um adversário qualquer, o confronto é difícil.

 Chegamos logo nos primeiros minutos de jogo, com Airton, que pegou rebote, mas o goleiro interceptou. A primeira chegada da equipe adversária foi em jogada aérea aos 9 minutos. Aos 13, Montillo sentiu uma contusão, que segundo informações é diferente da que o fez ser dúvida para o jogo. João Paulo o substituiu, mas visivelmente o time e a torcida sentiram, pelo menos momentaneamente. A equipe aos poucos foi se reencontrando em campo e aos 36 abriu o placar, com um golaço de Pimpão.

 O Botafogo voltou do intervalo com Guilherme no lugar de Bruno Silva, que também sentiu uma lesão. O adversário assustou nos primeiros minutos, em cruzamento a meia altura. O alvinegro chegou com perigo em passe de Pimpão, que Roger mandou para fora. Aos 18 minutos Helton Leite fez grande defesa, após chute forte na nossa área. Organizamos uma boa jogada, iniciada por Marcelo, mas o zagueiro foi mais rápido que Roger e cortou. Um minuto depois, Roger teve outra chance, mas cabeceou por cima.

 A equipe adversária passou a exercer certa pressão, em busca do empate. Nosso treinador substituiu Airton por Matheus Fernandes. Eles continuaram pressionando, mas assustaram mesmo somente aos 42, quando Jonas cortou na pequena área.

 O árbitro, sobretudo na primeira etapa, marcou faltas demais para a equipe adversária, algumas questionáveis em minha opinião. No 2º tempo Guilherme avançou pela esquerda e, na área, foi aparentemente tocado pelo marcador, mas o juiz ignorou.

 Os aproximadamente 30 mil alvinegros presentes no Nilton Santos incentivaram bastante a equipe. Festa com direito a um lindo mosaico.

 O lateral Jonas recebeu o 3º amarelo e está fora do jogo da volta.

 Mais uma vez a equipe lutou bastante, sendo recompensada com a vitória. Roger buscou fazer o pivô, mas ficou devendo hoje. Outro que não entrou tão ligado como os companheiros foi Guilherme. Talvez preocupado em ajudar na marcação, não produziu jogadas ofensivas, em velocidade, conforme era esperado.

 O jovem Marcelo mais uma vez foi um gigante em campo.

 Agora é torcer pelas recuperações de Montillo e Bruno Silva, a tempo de estarem em campo no Paraguai.

Lances do jogo

1º tempo

- 4 min: Airton pegou rebote na área, chutou em cima de Roger, a bola voltou para Airton chutar e o goleiro defender;
- 36 min: Jonas cobrou lateral para a área, Roger subiu junto com o zagueiro, a bola sobrou para Pimpão na marca do pênalti, que mandou de bicicleta ou de puxada, como preferir e marcou um golaço: 1x0 Fogão!
- 38 min: após bola perdida no meio de campo, sofremos contra-ataque, a bola foi na nossa área, com perigo, mas Helton Leite sofreu falta.

2º tempo

- 4 min: bola cruzada, passou por Helton Leite e saiu com certo perigo;
- 13 min: Pimpão tocou boa bola para Roger na área, que chutou cruzado, para fora;
- 18 min: bola lançada na nossa área, dois alvinegros se esbarraram e a bola sobrou para um paraguaio chutar forte e Helton Leite defender;
- 33 min: Marcelo lançou Camilo na direita, que tocou para Pimpão, este rolou para Roger, mas antes que ele concluísse, o zagueiro cortou;  
- 34 min: Pimpão cruzou da direita, o goleiro não achou a bola e Roger cabeceou, porém para fora, rente ao travessão.
- 42 min: após falta cobrada para a nossa área, com perigo, Jonas cortou na pequena área e Matheus Fernandes mandou para escanteio.

Cartões

 Amarelo para Jonas e Airton.
   
Escalação/substituições

Helton Leite, Jonas, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Matheus Fernandes), Bruno Silva (Guilherme), Camilo e Montillo (João Paulo); Pimpão e Roger.

 Saudações alvinegras!

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Derrota injusta de nossos reservas após cenas de selvageria

 O Botafogo, preocupado com a segurança dos torcedores, em função do número do efetivo da força policial, tentou o adiamento da partida, mas não foi bem sucedido. Infelizmente foi de se lamentar, e muito, as cenas de selvageria antes do início do jogo no Nilton Santos. Foi noticiada após o jogo a morte de um torcedor alvinegro, ocorrida durante a barbárie. Até quando?

 Com o jogo confirmado, o Glorioso entrou em campo pelo Estadual neste domingo com a equipe reserva, já que o foco principal é a partida de quarta-feira, pela Libertadores. O time alvinegro acabou derrotado por 2x1 para o Flamengo e, embora tenha atuado contra a equipe principal do adversário, não mereceu sair derrotado, tendo mandado ainda duas bolas no travessão da equipe rival.

 No início do 1º tempo o adversário tentou pressionar, mas o alvinegro esteve bem postado defensivamente e não demorou para a partida ficar equilibrada. Eles saíram na frente aos 35, em jogada aérea e o Glorioso empatou aos 38, com Roger, após cruzamento de Guilherme.

 O Botafogo voltou com Bruno Silva no lugar de Dudu Cearense. O jogo seguia equilibrado, mas aos 19 minutos sofremos o 2º gol, em bola que atravessou nossa área de um lado a outro. Aos 20, Leandro substituiu Lindoso e aos 30 Roger deu lugar a Vinícius.

 Logo após entrar, Vinícius cruzou e Leandro acertou o travessão. Helton Leite fez boa defesa aos 34 e, um minuto depois, a bola foi lançada na área adversária para Bruno Silva, que em minha opinião foi deslocado pelo lateral, mas o juiz não marcou. Praticamente no último lance do jogo, Leandro cabeceou no travessão.

Lances do jogo

1º tempo

- 13 min: conclusão do time adversário na nossa área, com a bola saindo com certo perigo;
- 35 min: após cruzamento da esquerda, a bola foi no 2º pau e o atacante escorou para as redes, abrindo o placar;
- 39 min: a bola foi tocada para Guilherme na direita, que avançou, cruzou na medida e Roger cabeceou para as redes, empatando o confronto.

2º tempo

- 19 min: a bola foi lançada na nossa área, um adversário tocou da esquerda para a direita, depois foi tocada para a pequena área e um atacante esticou a perna e desempatou;
- 31 min: Vinícius recebeu na direita, avançou, cruzou rasteiro, Leandro escorou e acertou o travessão;
- 34 min: um jogador adversário arriscou de longe e Helton Leite espalmou;
- 35 min: lançamento para a área adversária, Bruno Silva foi na bola, mas foi deslocado pelo lateral e não conseguiu concluir;
- 45 min: a bola foi cruzada da esquerda, Leandro cabeceou, a bola tocou no travessão e saiu.

Cartões

 Amarelo para Dudu Cearense, Roger, Marcinho e João Paulo.

Escalação/substituições

 Helton Leite, Marcinho, Renan Fonseca, Igor Rabello e Gilson; Lindoso (Leandro), Dudu Cearense (Bruno Silva), Matheus Fernandes e João Paulo; Guilherme e Roger (Vinícius).

 Saudações alvinegras.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Classificação muito merecida!

 O Glorioso foi até o Chile enfrentar o Colo-Colo e está trazendo na bagagem a classificação para a próxima fase. Depois da vitória por 2x1 no Rio de Janeiro, o alvinegro empatou por 1x1 na casa do adversário.

 Sem poder contar com Camilo, contundido, o treinador optou por Airton, Lindoso, Bruno Silva, João Paulo, Montillo, além de Pimpão, mais avançado. Roger ficou como opção no banco.

 O adversário entrou em campo buscando pressionar e marcou o gol logo aos 2 minutos de jogo, com Emerson Silva cabeceando contra o próprio patrimônio, após cobrança de escanteio. O gol tão cedo poderia desestruturar por completo a equipe alvinegra, mas o Glorioso não se abalou, foi se encontrando em campo e passou a dominar a partida. O time chileno não assustou mais na etapa inicial e o Botafogo obrigou o goleiro adversário a fazer três difíceis defesas, evitando o empate ainda no 1º tempo.

 Na segunda etapa o panorama não se modificou, com amplo domínio do Botafogo. Logo nos primeiros minutos, após cruzamento de Jonas, Lindoso perdeu grande chance. A única chegada com perigo do time chileno foi em chute de fora da área, que resvalou na marcação, obrigando Gatito a mandar para escanteio, com a bola ainda tocando no travessão.

 Aos 17 minutos o treinador alvinegro colocou Guilherme em campo e tirou Airton, que minutos antes havia sentido câimbras, além de estar com amarelo. Precisando marcar um gol, nova alteração foi feita aos 31, com a entrada do atacante Roger, para a saída de Lindoso.

 O domínio em campo, exercido pelo Botafogo, foi premiado aos 35 minutos, quando Pimpão empatou o jogo, em jogada que teve a participação de Roger e Guilherme.

 O árbitro deu 7 minutos de acréscimos e nesses minutos fizemos a última alteração, entrando Dudu Cearense para a saída de João Paulo e desperdiçamos duas chances, em contra-ataques com Guilherme.

 O Botafogo agora aguarda o vencedor do confronto entre Independiente Del Vale e Olímpia.

 Marcelo, Victor Luis, Montillo e Pimpão foram os destaques da partida, além, é claro, da raça, da vontade, da disposição demonstradas por todo o grupo durante o jogo.

Lances do jogo

1º tempo

- 2 min: após cobrança de escanteio pela esquerda, houve um toque de cabeça na primeira trave e Emerson Silva tentou cortar, também de cabeça, mas acabou mandando para as redes, marcando contra: 0x1;
- 15 min: Montillo recebeu no meio, avançou, chutou de longe e o goleiro se esticou e espalmou para escanteio;
- 20 min: após cobrança de falta no nosso campo de ataque, Marcelo cabeceou e o goleiro salvou para escanteio;
- 23 min: Montillo cobrou falta no ataque, o zagueiro tentou cortar, pegou mal na bola e obrigou o seu goleiro a fazer difícil defesa para escanteio.

2º tempo

- 4 min: Jonas cruzou da direita e Lindoso, sem marcação, chutou de primeira, para fora, quando poderia ter dominado com mais tranquilidade;
- 16 min: um jogador adversário chutou de fora da área, a bola resvalou em João Paulo, subiu e Gatito se esticou, espalmou, a bola ainda tocou no travessão e saiu para escanteio;
- 35 min: Roger recebeu no ataque, tocou para Guilherme na esquerda, que cortou para o meio, chutou, Roger esticou a perna, tocou na bola, o goleiro rebateu e sobrou para Pimpão, que teve tranquilidade para mandar para as redes e decretar o empate: 1x1!
47 min: contra-ataque do Botafogo e Guilherme acabou desperdiçando;
48 min: mais um contra-ataque e mais uma vez Guilherme não aproveitou.

Cartões

 Amarelo para Airton, Jonas e Pimpão.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Jonas, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Guilherme), Bruno Silva, Lindoso (Roger), João Paulo (Dudu Cearense) e Montillo; Pimpão.

 Saudações alvinegras!

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Precisou do susto para acordar

 O Botafogo venceu o Macaé por 2x1 no Nilton Santos, pela 3ª rodada da Taça Guanabara. Com a vitória, o alvinegro ganhou sobrevida na competição, embora a situação na Taça GB continue bem difícil, em função dos tropeços iniciais. Pensando em regulamento da competição estadual, os três pontos foram importantes, afinal, além dos campeões das taças Guanabara e Rio, disputarão as semifinais do Estadual outras duas equipes com mais pontos no somatório das referidas taças.

 A equipe entrou em campo com a equipe reserva, à exceção de Gatito Fernandez, dominou o 1º tempo, tocou a bola e não demorou a chegar ao gol, com Lindoso, em um belo chute aos 9 minutos. Um pouco antes do gol, Dudu Cearense foi derrubado na área e o árbitro ignorou a penalidade.

 A equipe adversária não ameaçava, mas quase chegou ao empate em escanteio que Dudu Cearense cabeceou contra a própria trave. No final da 1ª etapa, Lindoso viu o goleiro adversário adiantado, chutou do campo de defesa e a bola saiu com perigo. Logo depois o goleiro salvou uma bola de cabeça de Dudu Cearense. De se lamentar a contusão do jovem Gustavo Bochecha, com torção no joelho. Deu lugar a Matheus Fernandes aos 17 minutos.

 O 2º tempo do jogo começou e logo com um minuto Marcinho mandou um chutaço e o goleiro se esticou e espalmou. Parecia animador, mas só parecia, afinal a partida passou a ficar irritantemente sonolenta. A equipe alvinegra ficou tocando a bola sem objetividade, para o lado e para trás. Somente chegamos com algum perigo aos 22 minutos, em chute de Guilherme. Aos 24 o treinador tirou Joel, que mais uma vez ficou devendo e colocou Vinícius.

 Com a apatia e a falta de vontade presentes em campo, a equipe alvinegra foi castigada aos 34, quando Gatito falhou e soltou uma bola nos pés do atacante. O time adversário não fez nada para merecer seu gol, mas o castigo veio para quem abdicou de jogar.

 Marcinho sentiu e deu lugar a Fernandes aos 35. Precisou o gol de empate ter saído para a equipe alvinegra acordar e sair em busca da vitória. As emoções se fizeram presentes nos últimos minutos da partida: aos 44 Fernandes cruzou e Vinícius concluiu para fora; aos 47, após escanteio, a bola sobrou para Fernandes chutar dentro da área e o goleiro salvar; aos 51, em contra-ataque, um jogador adversário concluiu forte na área e Gatito salvou; no lance seguinte, aos 52, Guilherme cruzou da esquerda e Vinícius cabeceou para as redes, decretando a vitória.

 O Botafogo, mesmo com reservas, não pode passar sufoco frente a equipes pequenas. Tem que buscar a vitória o tempo todo e não se acomodar com 1x0 no placar.

 A equipe adversária reclamou da arbitragem, por saída de bola na linha de fundo, quando do cruzamento de Guilherme para o gol de Vinícius. Só lembrando que a mesma arbitragem ignorou um pênalti claro em Dudu Cearense, no início do 1º tempo.

 Destaco a boa atuação do lateral Marcinho. Lindoso e Matheus Fernandes foram bem. Leandro participou mais do jogo hoje. Guilherme buscou se movimentar no 1º tempo. Deu as assistências para os dois gols. Gilson e Joel ainda devendo. Gatito precisa ganhar confiança, falhou feio no gol do Macaé.

Lances do jogo

1º tempo

- 9 min: Igor Rabello esticou para Guilherme, que fez boa jogada pela esquerda, cortou um marcador, inverteu a jogada, Lindoso dominou no peito na entrada área, chutou forte, colocado e marcou um belo gol: 1x0 Fogão!
- 29 min: a equipe adversária cobrou escanteio pela esquerda, a bola foi na cabeça de Dudu Cearense, que mandou na trave, quase fazendo contra;
- 37 min: Lindoso dominou no campo de defesa, viu o goleiro adiantado, chutou tentando fazer por cobertura e a bola saiu com perigo;
- 39 min: após escanteio da direita, Dudu Cearense cabeceou e o goleiro salvou.

2º tempo

- 1 min: Marcinho pegou um rebote na entrada da área, chutou forte, no alto e o goleiro espalmou;
- 22 min: Guilherme chutou colocado e o goleiro mandou para escanteio;
- 34 min: um jogador adversário fez boa jogada pela esquerda, chutou cruzado, Gatito soltou a bola na frente do atacante, que só empurrou para as redes: 1x1;
- 44 min: Fernandes recebeu na direita, avançou, cruzou e Vinícius, dentro da área, concluiu para fora;
- 47 min: após escanteio da esquerda, a bola sobrou para Fernandes dentro da área, que chutou e o goleiro salvou;
- 51 min: o time adversário contra-atacou, um atacante recebeu e concluiu de frente para Gatito, que espalmou e evitou o 2º gol;
- 52 min: Renan Fonseca recebeu no campo de ataque, abriu para Guilherme na esquerda, que cruzou na área e Vinícius concluiu de cabeça e desempatou: 2x1 Fogão!

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Marcinho (Fernandes), Renan Fonseca, Igor Rabello e Gilson; Gustavo Bochecha (Matheus Fernandes), Lindoso, Dudu Cearense e Leandro; Guilherme e Joel (Vinícius).

 Saudações alvinegras!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Mais pitacos sobre o jogo

 Jogo pela Libertadores é sempre tenso e ontem não foi diferente. Depois da partida foi um custo até a adrenalina baixar e o sono chegar. Agora, mais tranquilo, mesmo já tendo postado sobre o jogo, emito mais alguns pitacos:

- é importante termos em mente que vencemos e estamos em vantagem. Não abrimos saldo, mas o que seria complicado é se tivéssemos empatado ou perdido;

- se ficou a sensação de que poderia ter sido melhor, isso se deve ao fato de termos aberto 2x0 e que gol sofrido em casa é sempre ruim, devido ao critério de desempate, mas imaginem se eles tivessem saído na frente e a gente virado. A animação com certeza seria maior, porém o placar e a vantagem seriam os mesmos, então, valorizemos a importante vitória;

- sabíamos que a equipe chilena seria um adversário difícil, com mais conjunto e, por questões de calendário, maior tempo de preparação. Com isso, a expectativa quanto à atuação do Botafogo era grande e o 1º tempo do time alvinegro me agradou, fazendo por merecer a vantagem obtida na etapa;

- o time caiu de produção no 2º tempo, o que pode ser atribuído à saída de Airton, por contusão, à escolha de João Paulo como seu substituto, com poder de marcação inferior e, também, à falta de ritmo de jogo da equipe;

- com a confirmação da ausência de Carli e o temor pela escalação de Renan Fonseca, cujas atuações não agradavam, muitos torcedores (me incluo entre eles) pediram e torceram pela escalação do jovem Marcelo na zaga. Felizmente ele foi escalado e, melhor ainda, teve uma grande atuação, mesmo inexperiente, atuando em competição importante como a Libertadores. Sofremos um contra-ataque no 2º tempo, em que um atacante avançou livre pela direita e somente concluiu para fora porque estava sendo combatido pelo jovem zagueiro, que se recuperou na velocidade, que muitos não teriam;

- sobre Pimpão, segue um trecho da nossa postagem sobre a partida: “Outro destaque foi Pimpão, que se não foi brilhante tecnicamente, mostrou muita doação em campo, disposição, luta, raça, sendo um exemplo.";

- vamos aguardar outras partidas de João Paulo, que estreou ontem e tende a evoluir. Mostrou ter qualidade do meio para a frente, mas na ajuda à marcação não foi tão bem;

- como está lindo o Estádio Nilton Santos, mais lindo ainda lotado por torcedores alvinegros. Uma grande festa;

- ainda sobre público, fiquei com uma dúvida, pois haviam anunciado ingressos esgotados e o total de público não bateu 40 mil. A dúvida é se isso ocorreu por conta do Setor Sul, reservado para a torcida adversária, que ficou com muitos espaços vazios;

- gostaria de deixar registrada a satisfação pela forma como o canal Fox Sports tratou a partida do Glorioso pela Libertadores. Demonstrou muito respeito pelo clube e seus torcedores, com uma cobertura excelente durante o dia de ontem e as primeiras horas de hoje;

- agora é montar a melhor estratégia para a partida de volta, torcendo para que não tenha sido nada mais grave com Airton e que ele possa jogar.

 Saudações alvinegras.

Viajaremos com vantagem

 Pela Libertadores, o Botafogo recebeu o Colo-Colo no Nilton Santos, lotado de alvinegros e venceu por 2x1. O resultado faz com que o alvinegro possa viajar ao Chile com a vantagem do empate. Com o gol sofrido em casa, não poderemos ser derrotados por 1x0 na próxima quarta-feira, mas se marcamos gol lá a chance de classificação será ainda maior.

 Empurrado pela torcida, o alvinegro começou com a posse de bola, porém errando alguns passes e a equipe adversária tentando se aproveitar, chegando a assustar algumas vezes nos primeiros minutos.

 A equipe alvinegra foi encaixando seu jogo e cresceu na partida a partir dos 20 minutos. Tivemos uma grande chance aos 27, com Montillo e abrimos o placar aos 29, com Airton. O time cresceu mais após o gol, a equipe adversária sentiu e aos 40 ampliamos, em gol contra do zagueiro deles.

 Fomos para o intervalo com uma vantagem excelente, porém preocupados com Airton, que no último lance do 1º tempo, após uma queda, contundiu o cotovelo. E, de fato, ele não teve condições de retornar para o 2º tempo, sendo substituído por João Paulo. Em minha opinião, quem deveria ter entrado era Matheus Fernandes, que tem mais poder de marcação.

 Quase marcamos o 3º gol aos 5 minutos, em cobrança de falta de Camilo, mas no lance seguinte o time adversário encontrou espaço no nosso lado direito e diminuiu o placar. A equipe alvinegra sentiu o gol, os torcedores também, até por conta de ser critério de desempate.

 A equipe adversária continuou encontrando espaços e aos 30 minutos o nosso treinador colocou Matheus Fernandes em campo, para melhorar a marcação, sacando Camilo, que em minha opinião estava melhor no jogo do que Montillo. Aos 36 foi a vez de Roger sair para a entrada de Joel, que nada acrescentou.

 Nos últimos minutos da partida o juiz quase nos complicou, ao marcar uma falta inexistente de Matheus Fernandes, que foi claramente na bola, na entrada da área. O árbitro ainda aplicou cartão amarelo para o nosso jogador.

 Da mesma forma que aprovei a relação de jogadores para o jogo, preparada pelo treinador e a escalação de Marcelo como titular, não concordei com substituições feitas hoje no jogo.

 Destaco o jovem zagueiro Marcelo, que teve uma grande atuação, mostrando que a inexperiência não pesou, para satisfação de grande parte dos torcedores que o queriam no time, diante da impossibilidade de contar com Carli.

 Outro destaque foi Pimpão, que se não foi brilhante tecnicamente, mostrou muita doação em campo, disposição, luta, raça, sendo um exemplo.

 Airton enfim marcou seu gol, um prêmio pelas boas atuações. Infelizmente se contundiu e não pode jogar o 2º tempo e isso pesou bastante para a equipe. Que não tenha sido nada grave e ele possa atuar na partida no Chile.

Lances do jogo

1º tempo

- 3 min: em jogada aérea da equipe adversária, a bola atravessou a nossa área com perigo;
- 7 min: contra-ataque perigoso da equipe adversária, mas Airton se antecipou ao atacante e interceptou a jogada;
- 11 min: após escanteio da esquerda, a bola sobrou para Emerson Silva, que concluiu fraco e um adversário cortou;
- 24 min: a equipe chilena atacou pela esquerda, a bola foi chutada do bico da grande área e Gatito defendeu em dois tempos;
- 27 min: Camilo avançou pelo meio, abriu para Montillo na área, que cortou, chutou e o goleiro defendeu;
- 29 min: Victor Luis cobrou lateral para a área, Roger dividiu por cima com um marcador, o zagueiro cabeceou para a frente, Airton dominou na entrada da área, chutou forte e abriu o placar: 1x0 Fogão!
- 40 min: A bola foi rebatida do meio para o nosso ataque, Pimpão dominou na frente da área, rolou para Montillo na esquerda. O argentino avançou, chutou cruzado, Pimpão dividiu com um zagueiro, a bola bateu no outro zagueiro e entrou: 2x0 Fogão!

2º tempo

- 5 min: Camilo cobrou falta da entrada da área e a bola tirou tinta da trave;
- 5 min e 50 seg: após jogada pela esquerda, um atacante recebeu na área, chutou cruzado e diminuiu: 2x1;
- 16 min: após chute de longe, Gatito espalmou, a bola sobrou para um atacante, mas estava impedido.

Cartões

 Amarelo para Jonas e Matheus Fernandes.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Jonas, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (João Paulo), Bruno Silva, Camilo (Matheus Fernandes) e Montillo; Pimpão e Roger (Joel).

 Saudações alvinegras!

sábado, 28 de janeiro de 2017

Que na quarta-feira seja muito diferente

 O Botafogo retornou ao Estádio Nilton Santos, em partida oficial, enfrentando o Nova Iguaçu, pelo Estadual e não passou de um empate por 1x1. Foi a 2ª partida do Glorioso na competição, já que teve o jogo com o Madureira (derrota por 2x0), pela 2ª rodada, antecipado para o meio desta semana.

 O Botafogo começou a partida com sete jogadores oriundos da base, tocando a bola e envolvendo a equipe adversária. O alvinegro marcou o gol aos 7 minutos, com Marcelo, mas parece que isso não fez bem, já que diminuiu o ritmo e o time adversário passou a buscar o ataque, porém sem assustar o nosso goleiro.

 O treinador sacou o jovem Pachu no intervalo e promoveu a estreia do camaronês Joel, que ficou devendo, assim como a maioria dos companheiros.

 A equipe tocava demasiadamente a bola na 2ª etapa, irritando de certa forma alguns torcedores, já que muitos destes toques eram improdutivos, para o lado ou para trás. Para piorar, sofremos o empate em jogada aérea aos 11 minutos.

 O treinador ainda sacou Leandro e Sassá para as entradas de Guilherme (também estreante) e Roger, mas a equipe alvinegra não conseguiu desempatar, tendo somente duas chances para isso, uma com Camilo, após tabela com Gilson e outra com Roger, livre, após pegar rebote do goleiro.

 Destaco os jovens Matheus Fernandes e Marcelo, este último, em minha opinião, muito mais firme e mais ágil que Renan Fonseca. O lateral Marcinho também apareceu bem na 2ª etapa. Leandro teve alguns lampejos no 1º tempo e Camilo, além da assistência para o gol, participou de uma boa jogada com Gilson no 2º tempo.

 Na próxima quarta-feira teremos o jogo pela Libertadores, contra o Colo-Colo, na Estádio Nilton Santos, partida que já teve toda a carga de ingressos destinada aos alvinegros esgotada. Que a galera possa fazer a diferença.

 A preocupação para a partida pela Libertadores é em relação ao ritmo de jogo e ao conjunto da equipe. O time considerado titular, com alguns desfalques, atuou apenas no 1º tempo do amistoso contra o Rio Branco e na última quarta-feira, contra o Madureira, no calor de Bangu, às 16h30. Já neste sábado, em casa, com toda estrutura, foi poupado. Camilo e Montillo ainda não atuaram juntos. Que a comissão técnica saiba bem o que está fazendo e que na quarta-feira a equipe jogue muito e conquiste a vitória.     

Lances do jogo

1º tempo

- 7 min: Camilo cobrou escanteio pela direita, Marcelo, desmarcado, cabeceou com muita força e abriu o placar: 1x0 Fogão!

2º tempo

- 4 min: um jogador adversário dominou de frente para a área, chutou, a bola desviou e saiu para escanteio;
- 7 min: um jogador adversário ganhou de dois marcadores pela direita, avançou, cruzou, o atacante escorou sob marcação e mandou para fora;
- 11 min: em falta cobrada da meia esquerda, a bola foi na nossa área, um zagueiro adversário, em posição de impedimento, cabeceou e empatou;
- 32 min: Camilo tabelou com Gilson, recebeu na área, chutou e a bola foi interceptada pelo zagueiro, para escanteio;
- 45 min: Marcinho chutou de longe, o goleiro "bateu roupa" na frente de Roger, que arrematou em cima do goleiro.

Cartões

 Amarelo para Pachu, Marcelo e Camilo.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Marcinho, Marcelo, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, Dudu Cearense, Leandro (Guilherme) e Camilo; Pachu (Joel) e Sassá (Roger).

 Saudações alvinegras.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Revés no início do Estadual

 O Botafogo estreou no Estadual com derrota por 2x0 para o Madureira. A partida, antecipada da 2ª rodada, foi realizada em Bangu, sob forte calor na 1ª etapa e forte chuva em parte da 2ª. Como dizem que há coisas que só acontecem com o Botafogo, o 2º gol foi marcado por Geovane Maranhão. Sim, o mesmo que fez parte do nosso elenco ano passado e saiu sem nada apresentar.

 Se me perguntarem se a derrota foi justa, eu responderia que a vitória não seria, afinal a equipe alvinegra não apresentou em campo um futebol suficiente para construir um resultado positivo.

 O time teve maior posse de bola no 1º tempo, mas chegou apenas em chutes de fora da área e em conclusão de cabeça de Roger. Já a equipe adversária teve uma chance com um atacante livre na área, mas a conclusão foi para fora. O ritmo empregado nem de perto foi o mesmo do amistoso em Cariacica, até porque o clima quente foi muito superior. Destaco apenas na 1ª etapa Jonas e Airton.

 O tempo virou no intervalo, o sol desapareceu e a chuva forte chegou. O clima pode ter mudado no 2º tempo, mas a dificuldade em criar situações de gol permaneceu, embora Montillo tenha aparecido um pouco mais na etapa final. Se não criávamos no ataque, ainda bobeamos na marcação e sofremos o primeiro gol aos 24 e o segundo aos 33. Mesmo com três mudanças realizadas pelo treinador, o placar não foi mais alterado.

 Nossa atenção maior é na partida pela Libertadores e, em relação a ela, a preocupação é quanto à necessidade do retorno de Joel Carli. Será complicado entrar na competição sulamericana com uma formação da defesa que não nos inspira confiança. Teremos a presença de Camilo e, quem sabe, de João Paulo, mas fica a dúvida também quanto às opções atuais do nosso ataque.

Lances do jogo

1º tempo

- 8 min: Jonas cobrou falta da entrada da área, o goleiro se esticou e espalmou para escanteio;
- 9 min: a equipe adversária tocou a bola no ataque, um jogador recebeu livre na área, concluiu para fora, mas com perigo;
- 15 min: Montillo chutou forte, de fora da área e a bola saiu com perigo;
- 20 min: em falta cobrada da direita para a área adversária, Emerson ajeitou de cabeça e Roger, também de cabeça, concluiu e o goleiro espalmou;
- 39 min: Jonas recebeu na direita, cortou para o meio e chutou forte, rente à trave.

2º tempo

- 5 min: falta cobrada com força pelo time adversário, Gatito espalmou e após bate-rebate, houve a conclusão a gol e zaga salvou;
- 15 min: Jonas cruzou da direita, Roger cabeceou mal, a bola sobrou para Pimpão, que cabeceou e o goleiro defendeu com dificuldade, em dois tempos;
- 17 min: falta cobrada de longe pelo time adversário, a bola quicou na área e Gatito mandou para escanteio;
- 19 min: Montillo cobrou falta para a área, a bola quicou na frente do goleiro, que mandou para escanteio;
- 24 min: após cobrança de falta no meio, nossa marcação pela esquerda falhou, o lateral avançou, cruzou, o atacante escorou e abriu o placar;
- 33 min: o time adversário trocou passes no ataque, na frente da nossa zaga, um atacante recebeu na área, concluiu na saída de Gatito e ampliou para 2x0.

Cartões

 Amarelo para Jonas e Pimpão.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Jonas, Renan Fonseca, Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Sassá), Bruno Silva, Lindoso (Leandro) e Montillo; Pimpão (Vinícius) e Roger.

 Saudações alvinegras.