domingo, 21 de maio de 2017

Atuação sólida e vitória em casa

 Pela 2ª rodada do Brasileiro, o Botafogo derrotou a Ponte Preta por 2x0, no Nilton Santos e conseguiu sua 1ª vitória na competição. O resultado positivo se deu sem sustos, com atuação consistente, no nível da arrancada na mesma competição em 2016 e em partidas pela Libertadores este ano.

 A equipe esteve compacta na partida, com o sistema defensivo bem sólido, não dando chances ao ataque adversário e buscando contra-atacar em velocidade.

 No 1º tempo chegamos bem aos 10 minutos, em jogada finalizada com voleio de Camilo e aos 20, quando abrimos o placar em belo gol de Bruno Silva, chutando forte, de fora da área. Na etapa inicial, a equipe adversária exigiu de Gatito em chute de longe aos 18 minutos e teve sua melhor chance na partida aos 23, em arremate de frente a Gatito, mas nosso goleiro fez grande defesa.

 O Glorioso continuou muito bem postado em campo na 2ª etapa, buscando tocar a bola e sair em velocidade, como aos 13 minutos, mas o chute de Camilo foi por cima da meta adversária. Aos 18 o nosso treinador fez duas substituições: entraram Gilson e Guilherme e saíram, respectivamente, Camilo e Roger. Dois minutos após as alterações, ampliamos o placar, em chute colocado de Lindoso, após assistência de Guilherme.

 A vantagem deu ainda mais tranquilidade para o alvinegro, que manteve a boa postura defensiva. A equipe paulista chegou com certo perigo somente aos 34 minutos, em chute de virada.

 Faltando 10 minutos para o final, Airton substituiu Lindoso, que saiu aplaudido de campo. O Botafogo poderia ter ampliado aos 37, quando Guilherme chutou duas vezes e o goleiro salvou.

 Igor Rabello, mais uma vez, com grande atuação, assim como Joel Carli, seu companheiro de zaga. Victor Luis e Lindoso também foram bem no jogo, mas hoje meu destaque é para Bruno Silva, que jogou muito.

 Em minha opinião, Arnaldo teve uma estreia discreta, se não se destacou, também não comprometeu. Quem ficou devendo foi Camilo. Correu, tentou ajudar, mas precisa reencontrar seu melhor futebol.

 Hoje tivemos 9.160 torcedores presentes ao estádio Nilton Santos.

Lances do jogo

1º tempo

- 10 min: Victor Luis lançou na área, Bruno Silva escorou de cabeça, Camilo ajeitou na meia-lua, chutou de voleio e o goleiro pegou firme;
- 18 min: em chute de fora da área, Gatito espalmou bem e no rebote um jogador adversário, pressionado, chutou por cima;
- 20 min: a bola foi lançada na área adversária, Victor Luis tocou de cabeça para o miolo, a zaga cortou parcialmente, Roger ajeitou para trás, Bruno Silva dominou fora da área, encheu o pé e marcou um belo gol: 1x0 Fogão!
- 23 min: um jogador adversário recebeu no bico da pequena área, pelo lado esquerdo, arrematou à queima-roupa e Gatito salvou para escanteio.

2º tempo

- 13 min: em contra-ataque rápido, Camilo avançou, arriscou de longe e mandou por cima;
- 20 min: Bruno Silva ganhou pelo alto no campo de ataque, a bola ficou com Pimpão, que abriu para Guilherme na área, pelo lado esquerdo. O atacante puxou para a perna direita, rolou para Lindoso, que dominou na meia-lua, chutou colocado e ampliou: 2x0 Fogão!
- 34 min: um jogador adversário recebeu na área, chutou de virada, a bola foi desviada pela zaga e saiu para escanteio;
- 37 min: Bruno Silva puxou contra-ataque pela direita, mandou para a área, Guilherme concluiu, o goleiro espalmou, o rebote ficou com o próprio Guilherme, que chutou novamente, à queima-roupa, e o goleiro rebateu.

Cartões

 Amarelo para Igor Rabello.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso (Airton), Bruno Silva, João Paulo e Camilo (Gilson); Pimpão e Roger (Guilherme).

 Saudações alvinegras!

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Na raça, no limite, como deve ser

 O Botafogo conseguiu uma vitória maiúscula diante do Atlético Nacional, garantindo, com uma rodada de antecedência, a classificação para as oitavas de final da Libertadores. O gol alvinegro foi marcado por Pimpão.

 A atuação ocorreu da forma como nós, torcedores, sempre pedimos, com raça, com dedicação, usando da última gota de suor para atingir o objetivo. Sabemos que há limitações no elenco, mas a equipe consegue se igualar a qualquer adversário quando atua em seu limite, quando se desdobra e isso foi visto em campo nessa quinta-feira.

 O próprio Jair Ventura, em entrevista pós-jogo, disse que sempre pede total empenho dos atletas e que fala para eles que atuando no limite, mesmo que ocorra resultado negativo, sabem que fizeram o melhor em campo.

 Foi uma noite e tanto, com festa e muito apoio vindo das arquibancadas do Nilton Santos, com a equipe honrando em campo a camisa que vestiam e, no final, com a classificação para a próxima fase.

 O jogo mal havia iniciado e, aos 2 minutos, Roger acertou a trave colombiana, após contra-ataque rápido. Aos 8 levamos um susto, mas Carli conseguiu cortar. Sabíamos que a partida seria difícil, já que o adversário é forte, mas a arbitragem não me passava segurança. Tivemos um bom ataque aos 30, mas foi marcado um impedimento inexistente.

 O jogo seguia equilibrado, o Botafogo com a postura mais fechada, tentando explorar contra-ataques. Aos 32 Gatito fez boa defesa e um minuto depois foi a vez de Emerson Santos afastar o perigo. Os times foram para o intervalo com o empate sem gols no placar.

 Se no início do 1º tempo tivemos uma chance com Roger e acertamos a trave, no início da 2ª etapa tivemos outra, com Pimpão, em grande passe de Lindoso e dessa vez não desperdiçamos. Logo depois, em contra-ataque, Pimpão concluiu, mas teve o chute bloqueado. Como somente a vitória servia para o adversário, os espaços passaram a aparecer para o alvinegro. Aos 15, Pimpão arriscou de longe e o goleiro fez grande defesa.

 Aos 21 o nosso treinador fez uma alteração que eu torcia que fizesse. Tirou Roger e colocou Guilherme. E as oportunidades para “matarmos” o jogo surgiam. Victor Luis, em cobrança de falta, exigiu muito do goleiro. Aos 31, após contra-ataque, Guilherme perdeu grande oportunidade e aos 34 o goleiro se antecipou a Bruno Silva.

 Jair, com alguns jogadores extenuados em campo, sacou Pimpão aos 36 para a entrada de Gilson e aos 41 foi a vez de Camilo ser substituído por Dudu Cearense.

 O tempo passava e, bem postado defensivamente, o Botafogo não era incomodado. Ainda chegamos com perigo aos 42, em chute de Dudu Cearense. Após o apito final pudemos, enfim, comemorar a classificação.

 A equipe, como um todo, está de parabéns pela dedicação mostrada em campo. Pimpão voltou a fazer grande partida e ser decisivo. Um destaque para dois jogadores que não são titulares, mas que jogaram muito ontem: Igor Rabello e Lindoso.

Lances do jogo

1º tempo

- 2 min: em contra-ataque, Pimpão recebe na esquerda, toca para Camilo, que avança, tenta driblar o goleiro e a bola sobra para Roger chutar e acertar a trave;
- 8 min: em jogada da equipe adversária pela direita, Victor Luis foi batido, a bola foi na área, Gatito não conseguiu defender, mas Joel Carli, mesmo com dificuldade, conseguiu cortar;
- 32 min: A bola foi lançada na nossa área e antes que um jogador adversário chegasse na bola, Gatito se antecipou e mandou a bola para longe;
- 33 min: em bola perigosa na nossa área, dessa vez foi Emerson Santos que afastou o perigo.

2º tempo

- 5 min: Lindoso recebeu no campo de ataque, enfiou excelente bola para Pimpão, que concluiu na grande área, deslocando o goleiro e mandando para as redes: 1x0 Fogão!
- 9 min: Emerson Santos puxou contra-ataque pela direita, rolou para Pimpão, mas a conclusão saiu prensada;
- 15 min: Pimpão chutou de longe e o goleiro se esticou e espalmou para escanteio;
- 24 min: Victor Luis cobrou falta da entrada da área e o goleiro espalmou para escanteio;
- 31 min: em contra-ataque, Pimpão recebeu na esquerda, tocou para Guilherme na área, que tentou driblar o goleiro, perdeu o ângulo e a oportunidade do segundo gol;
- 34 min: Guilherme lançou Bruno Silva na área, mas o goleiro chegou primeiro e afastou o perigo;
- 42 min: Dudu Cearense chutou, o goleiro “bateu roupa”, mas o rebote ficou com eles.

Cartões

 Amarelo para Pimpão.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Emerson Santos, Joel Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Lindoso, Bruno Silva, João Paulo e Camilo (Dudu Cearense); Pimpão (Gilson) e Roger (Guilherme).

 Saudações alvinegras!

terça-feira, 16 de maio de 2017

Números do Botafogo após 25 partidas em 2017

 Nessas 25 partidas (considerando o amistoso contra o Rio Branco, no Espírito Santo), o Botafogo venceu 13, empatou 04 e foi derrotado 08 vezes, com aproveitamento de 57,3%. O alvinegro marcou 38 gols e sofreu 29.

 Dos 29 gols sofridos, 14 foram nas últimas 10 partidas, sendo que nos últimos 06 jogos nossa defesa sofreu ao menos um gol. A última vez que a defesa não foi vazada foi na vitória por 2x0 sobre o Atlético Nacional.

 Os artilheiros do Botafogo são:

- Sassá 07 gols;
- Pimpão e Roger: 05 cada;
- Guilherme: 03;
- Fernandes, Bruno Silva e Lindoso: 02 gols cada.

 Os jogadores que mais entraram em campo nessas 25 partidas foram:

- 20 jogos: Guilherme (07 como titular);

- 19 jogos: Gatito Fernandez (18 como titular) e Roger (16 como titular);

- 18 jogos: Victor Luis (titular em todos), Bruno Silva (17 como titular), Camilo (17 como titular) e Pimpão (16 como titular);

- 17 jogos: Emerson Silva (titular em todos) e Sassá (05 como titular);

- 15 jogos: João Paulo (11 como titular);

- 13 jogos: Airton (titular em todos) e Lindoso (12 como titular).

Amistoso

 A equipe iniciou o ano vencendo o Rio Branco, por 4x0, em amistoso no Espírito Santo. Gols de Pimpão (2), Montillo e Sassá.

Estadual

 Pelo Estadual foram 14 jogos, com 07 vitórias, 02 empates e 05 derrotas (aproveitamento de 54,7%). O alvinegro marcou 23 gols e sofreu 19.

 Os artilheiros do time foram Sassá, com 05 gols e Roger, com 04.

 Os jogadores que mais atuaram:

- 11 jogos: Guilherme (05 como titular) e Sassá (03 como titular);

- 10 jogos: Roger (09 como titular);

- 09 jogos: Marcinho (titular em todos), Gatito Fernandez (titular em todos), Renan Fonseca (08 como titular);

- 08 jogos: Lindoso (titular em todos), Camilo (titular em todos); Bruno Silva (07 como titular); Gilson (07 como titular); Fernandes (04 como titular).

 Receberam cartão vermelho durante a competição: Marcelo, Bruno Silva e Pimpão.

Libertadores

 Na competição sul americana, o Botafogo realizou até aqui 08 partidas, com 04 vitórias, 02 empates e 02 derrotas (aproveitamento de 58,3%). Foram 09 gols marcados e 07 sofridos.

 O artilheiro alvinegro na competição é Pimpão, com 03 gols.

 Os atletas que mais atuaram até o momento:

- 08 jogos: Emerson Silva (titular em todos), Victor Luis (titular em todos) e Pimpão (titular em todos);

- 07 jogos: Camilo (titular em todos); Bruno Silva (titular em todos); Gatito Fernandez (06 como titular); Roger (05 como titular); João Paulo (05 como titular); Guilherme (01 como titular);

- 06 jogos: Airton (titular em todos); Marcelo (05 como titular);

- 05 jogos: Joel Carli (titular em todos).

 Com 03 cartões amarelos recebidos, Airton e Marcelo estão suspensos e não enfrentarão o Atlético Nacional, na próxima quinta-feira, no estádio Nilton Santos.

Copa do Brasil

 Até o momento o Botafogo realizou uma partida pela Copa do Brasil, vencendo o Sport, por 2x1, no Nilton Santos, com 02 gols de Guilherme.

Campeonato Brasileiro

 Pelo Brasileirão 2017, em sua estreia, o alvinegro foi derrotado por 2x0 pelo Grêmio, em Porto Alegre.

 Saudações alvinegras.

domingo, 14 de maio de 2017

Derrota na estreia com atuação muito ruim

 Ir ao sul e ser derrotado pelo Grêmio por 2x0 não chega a ser nenhum absurdo, mas ser derrotado apresentando em campo uma atuação como a que o Botafogo apresentou, não pode ser encarado com naturalidade. Às vésperas de partida decisiva pela Libertadores, o que vimos em campo acaba causando apreensão.

 A equipe como um todo foi muito mal, salvando o goleiro Gatito Fernandez, que evitou um placar mais dilatado. Alguns, como Camilo e Pimpão, caíram bastante de rendimento nos últimos jogos. Camilo, inclusive, nada produziu no sul. Suas atuações tornam totalmente injustificável qualquer atitude de descontentamento como a que ele teve quando esteve para perder a titularidade.

 O segundo gol foi irregular, já que a bola desviou na mão de um gremista, mas o adversário foi tão superior, que esse fato em nada influenciou para o nosso revés.

 Mesmo mal em campo, nossa equipe somente sofreu o primeiro gol aos 45 minutos do 1º tempo, mas Gatito já havia evitado que isso ocorresse antes, em duas oportunidades e em outra, um atacante chutou por cima. Nossa melhor oportunidade no 1º tempo foi em chute de Pimpão, que desviou na zaga.

 Mal o 2º tempo foi iniciado e a equipe adversária chegou com perigo. Aos 7 minutos bobeamos no meio e Gatito se esforçou para espalmar e evitar o 2º gol, mas um minuto depois, em sobra na nossa área, a bola foi chutada, bateu na mão de um gremista, foi para as redes e o árbitro validou o gol.

 O nosso treinador substituiu Airton e Camilo por Gilson e Guilherme, aos 12 minutos. A sensação que dava é que poderíamos jogar uma semana inteira e não marcaríamos gol.

 Sem conseguir ameaçar a equipe adversária, o treinador trocou Roger por Joel. Estamos bem de opção! Quando veremos Renan Gorne ao menos como opção no banco de reservas?

 A equipe do sul ainda perdeu outra oportunidade na pequena área. Nossa melhor ou única oportunidade aconteceu aos 40 minutos, em contra-ataque, que Gilson acertou a trave. Aliás, o lateral esquerdo suplente entrou para tentar algumas jogadas pela esquerda e, mesmo pouco, produziu mais que Camilo.

 Que na quinta-feira, pela Libertadores, a postura e a atuação da equipe sejam bem diferentes e que conquistemos a classificação para as oitavas de final.

Lances do jogo

1º tempo

- 6 min: João Paulo bobeou no meio de campo, perdeu a bola, um atacante avançou livre, concluiu na saída de Gatito, mas nosso goleiro salvou;
- 12 min: após escanteio da direita, Roger cabeceou e antes que a bola saísse, quase Bruno Silva conseguiu completar;
- 20 min: após chute de longe, Gatito espalmou para escanteio;
- 30 min: após boa troca de passes da equipe adversária, um atacante recebeu, limpou a marcação e chutou por cima;
- 43 min: Pimpão pegou uma sobra na direita, chutou, mas a bola desviou na zaga e saiu para escanteio;
- 45 min: em lançamento nas costas de Victor Luis, a bola foi cruzada da direita, um gremista concluiu, Gatito salvou, outro gremista chutou, Marcelo cortou, mas o terceiro chute acabou indo para as redes e o placar aberto.

2º tempo

- 1 min: em jogada da equipe gaúcha, um atacante dominou na entrada da área, chutou e a bola saiu com perigo;
- 7 min: João Paulo vacilou no meio, um atacante avançou pela direita, entrou na área, chutou e Gatito espalmou;
- 8 min: um adversário pegou uma sobra na nossa área, chutou, a bola bateu na mão de um companheiro dele, encobriu Gatito e foi para as redes;
- 27 min: em contra-ataque, um jogador adversário entrou na área, pela direita, chutou, Gatito salvou, a bola foi cruzada e um atacante, livre, cabeceou para fora;
- 38 min: após cruzamento da esquerda, um jogador adversário, na pequena área, concluiu por cima;
- 40 min: Pimpão puxou contra-ataque, rolou para Gilson na esquerda, que chutou forte e acertou a trave.

Cartões

 Amarelo para Marcelo, Pimpão, Bruno Silva, Emerson Santos e João Paulo;
Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Emerson Santos, Marcelo, Igor Rabello e Victor Luis; Airton (Gilson), Bruno Silva, João Paulo e Camilo (Guilherme); Pimpão e Roger (Joel).

 Saudações alvinegras.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Brasileirão chegando na área

 O Campeonato Brasileiro da série A terá início nesse final de semana e o Botafogo estreará contra o mesmo adversário com que terminou a competição em 2016. Iremos até Porto Alegre para enfrentar o Grêmio e espero que possamos repetir o resultado obtido, também no sul, na última rodada de 2016: vitória por 1x0.

 Quero acreditar que o alvinegro, bem diferente do que ocorreu ano passado, não esteja desacreditado pela maioria, afinal, em 2016, passou de “rebaixado” por muitos para classificado para a Libertadores. Já neste ano nos deram como eliminados nas duas primeiras fases da competição sul americana e cá estamos na fase de grupos, com plenas possibilidades de classificação para as oitavas de final.

 Lógico que deve haver descrente, que até pode não se manifestar, devido ao exemplo do ano passado. Alguns por convicções próprias, outros por pura imbecilidade.

 A base para o Brasileiro é o time que vem disputando a Libertadores, salvo se tivermos contratações (o clube acabou de trazer o lateral direito Arnaldo, que atuou pelo Ituano).

 A estreia no Brasileiro de 2016 (derrota por 1x0 para o São Paulo, em Volta Redonda) teve a seguinte formação: Helton Leite, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Emerson Silva e Victor Luis; Lindoso, Bruno Silva, Fernandes e Leandro; Neilton e Ribamar. Nesse jogo tivemos ainda as entradas de Salgueiro, Anderson Aquino e Sassá, respectivamente nas vagas de Bruno Silva, Leandro e Neilton.

 Hoje temos Gatito como titular, mas com a expectativa de Jefferson brevemente estar de volta na nossa meta. Nas primeiras rodadas de 2016 tivemos Helton Leite bem inseguro, fazendo com que o clube buscasse a contratação de Sidão.

 Em 2016 estreamos com Luis Ricardo, que infelizmente se lesionou seriamente durante a competição. No momento contamos com o recém contratado Arnaldo e aguarmos que Luis Ricardo, recuperado, tenha plenas condições de jogo. Outras opções, o jovem Marcinho e Jonas estão contundidos e temos o recém promovido Fernando.

 Da zaga que estreou em 2016, Emerson Silva se firmou este ano como titular, embora não possa atuar na estreia devido a uma contusão. O seu companheiro na zaga titular é o argentino Joel Carli. Outras opções para a zaga são os jovens Marcelo, Igor Rabello e Emerson Santos, além de Renan Fonseca, que embora tenha perdido espaço, permanece no grupo.

 Na lateral esquerda, quem participou da estreia em 2016 foi Victor Luis e é ele quem permanece como titular esse ano. Seu suplente atual é Gilson.

 Se o meio de campo que estreou ano passado foi Lindoso, Bruno Silva, Fernandes e Leandro, domingo provavelmente iremos com Airton, Bruno Silva, João Paulo e Camilo. Sobre Airton, ontem foi informado que, embora expulso na última rodada de 2016, ele terá condições de atuar. Particularmente, se houver um mínimo de dúvida sobre a questão, deveria “preservar" o volante e evitar qualquer problema futuro. Durante a competição teremos a opção de Montillo, que sentiu e não joga domingo. Lindoso, Fernandes e Leandro continuam como opções no elenco, assim como Dudu Cearense e Matheus Fernandes. Recém promovido, o jovem Wenderson é outra opção para o meio.

 O ataque na estreia em 2016 teve Neilton e Ribamar, mas ambos estão fora do clube. O provável ataque para domingo é Pimpão e Roger. Outros atacantes que vem sendo bastante utilizados são Sassá e Guilherme. Torço para que o jovem Renan Gorne, outra opção no elenco, possa ter a sua oportunidade no time.

 Que o Glorioso estreie com vitória no próximo domingo e faça um excelente Brasileirão.

 Saudações alvinegras.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

A força é do conjunto, da cooperação

 A derrota para o Barcelona, ocasionada principalmente por uma jornada muito ruim da equipe alvinegra na terça-feira, no Nilton Santos, deve ser utilizada como lição pelo grupo de jogadores e pela comissão técnica.

 O Botafogo não tem no plantel um jogador fora de série, que "carregue a equipe nas costas", e o que fez o time ter até aqui uma boa campanha na Libertadores, a tal ponto de ainda depender apenas de uma vitória em dois jogos para se classificar, foi o conjunto, foi a compactação, foi a cooperação mútua demonstrada pelo elenco. Tais fatores não foram vistos contra o Barcelona. Houve falta de atenção, falta de qualidade no passe e muitos espaços concedidos à equipe adversária no nosso setor defensivo.

 Repito, não temos um time de craques, mas sim um time de operários, que se desdobram nos jogos e essa característica não pode ser deixada de lado em nenhum momento, sob risco de acontecer derrota como a de ontem. Claro que derrotas fazem parte do futebol, mas não podem ocorrer por não colocarmos em campo as qualidades pertinentes ao elenco.

 Muitos jogadores estiveram bem abaixo do que podem render. Lembrando a estes que declarações em redes sociais são bacanas, incentivam os torcedores, mas precisam estar sempre presentes na prática, dentro do gramado, caso contrário perdem o sentido.

 É importante ficar claro que o treinador é um dos responsáveis por estarmos disputando a Libertadores e fazendo boa campanha na mesma. Ele tem todo o crédito, merece o nosso respeito, mas é necessário manter os pés no chão e sempre ter a humildade para admitir quando a coisa não funciona em determinado momento. Dizer simplesmente que o sistema de jogo (4/2/3/1) ontem foi o mesmo que venceu outras três partidas não basta. Às vezes as peças utilizadas não são as adequadas ou não funcionam, como de fato não funcionaram. A marcação esteve falha, não vimos as dobras funcionarem e até escanteios foram mal cobrados.

 Ele, reconhecendo a jornada ruim diante do Barcelona, deve trabalhar isso internamente e buscar corrigir as falhas, para que na próxima partida tenhamos de volta as atuações sólidas que vínhamos tendo.

 Estamos ainda em situação confortável na busca pela classificação, dependendo somente de nossas forças, pois precisamos de uma vitória em duas partidas a serem realizadas, uma no Nilton Santos e outra na Argentina. Caso o Estudiantes não derrote o Barcelona no Equador, poderemos nos classificar com um simples empate no Nilton Santos, contra o Atlético Nacional. É trabalhar bastante para chegarmos bem nos referidos confrontos.

 Saudações alvinegras.

Uma atuação para esquecer

 O Botafogo poderia ter saído do Nilton Santos já classificado, mas em noite de muitos erros, de atuações fracas de vários jogadores, acabou adiando para a próxima rodada, também no Nilton Santos, a possibilidade de classificação. O Barcelona, que nos derrotou por 2x0, se classificou antecipadamente para a próxima fase.

 A atuação do Botafogo, principalmente na 1ª etapa, foi muito ruim. A equipe alvinegra entrou em campo com três jogadores de características ofensivas (Guilherme, Sassá e Pimpão), não conseguiu ter o domínio do jogo, deixou muitos espaços defensivos e até escanteios a favor foram mal cobrados.

 A equipe esteve muito vulnerável defensivamente e o fato de Airton ter levado cartão amarelo logo aos 3 minutos acabou por preocupar ainda mais. O adversário, em contra-ataque, abriu o placar aos 6 minutos, após vacilo defensivo.

 O alvinegro poderia ter empatado aos 11, mas Emerson Santos perdeu a chance de cabeça. Aos 18 novamente atacaram pelo nosso lado direito, mas Emerson Silva salvou para escanteio. Um minuto depois, em contra-ataque, Camilo achou Guilherme livre, que desperdiçou a chance do empate. Se a gente desperdiça no ataque, o adversário não: em contra-ataque aos 23 e com novo vacilo defensivo, o placar foi ampliado.

 O time alvinegro até tentava chegar na frente, mas errava bastante. Aos 29 Sassá teve o chute bloqueado, em raro bom ataque. Fora isso, foram chutes de Guilherme, por cima e rebatido pelo goleiro e uma conclusão de João Paulo, também rebatida pelo goleiro.

 Perigo mesmo foi o Botafogo que sofreu, em contra-ataques aos 34, finalizado com chute rente à trave e aos 37, que Emerson Silva salvou quando a bola se dirigia para a nossa meta.

 Fomos para o intervalo com dois gols de desvantagem, mas pelo que foi a 1ª etapa, poderia ter sido pior. Ainda tivemos Emerson Silva e Camilo sentindo lesões e não retornando para o 2º tempo, sendo substituídos por Marcelo e Roger.

 No 2º tempo o adversário, em vantagem, se fechou mais e o Botafogo também se ajustou um pouco melhor em campo, mas a 1ª chance foi deles, em cobrança de falta que tocou na nossa trave.

 O jogo seguia com os equatorianos fechados e o Botafogo tentando criar, sem sucesso, situações de gol, até que aos 21 tivemos uma, mas Sassá não aproveitou. Um minuto depois foi a vez de Roger, de cabeça, desperdiçar. O treinador substituiu Airton por Fernandes aos 35 e um minuto depois Sassá concluiu na pequena área e o goleiro rebateu. Definitivamente não era dia de mandarmos a bola para as redes.

 Hoje o conjunto e a compactação da equipe não funcionaram. Muitos jogadores estiverem abaixo do que podem render, como, por exemplo, Emerson Santos, Joel Carli e Pimpão.

 Nosso próximo jogo será contra o Atlético Nacional, também no Nilton Santos, pela penúltima rodada da fase de grupos e uma vitória simples nos classifica. Se o Estudiantes não derrotar o Barcelona no Equador, até um empate com o Atlético nos fará avançar de fase. Nessa partida não poderemos contar com Airton e Marcelo, suspensos pelo 3º cartão amarelo. Uma coisa é certa, não podemos repetir a fraca atuação do jogo dessa terça-feira.

Lances do jogo

1º tempo

- 6 min: em contra-ataque, um atacante recebeu na esquerda, passou fácil por Carli, invadiu a área e concluiu na saída de Gatito, abrindo o placar;
- 11 min: Camilo cruzou da direita e Emerson Santos, sem marcação, cabeceou por cima e perdeu a chance;
- 16 min: Camilo chutou de fora, a bola desviou e foi para escanteio;
- 18 min: em novo ataque deles pela esquerda, o atacante recebeu na área, chutou e Emerson Silva cortou para escanteio;
- 19 min: em contra-ataque rápido, Camilo tocou para Guilherme, que avançou livre, demorou a decidir a jogada e a zaga se recuperou e interceptou;
- 23 min: Carli tocou de cabeça da intermediária para o meio, a bola foi rebatida de volta para nosso campo de defesa, um atacante se antecipou a Emerson Silva e Gatito, tocou na bola e ampliou o placar;
- 29 min: após tabela no ataque, Sassá recebeu na área, mas teve o chute bloqueado pela zaga;
- 33 min: Guilherme chutou da entrada da área e o goleiro rebateu para o alto;
- 34 min: em outro contra-ataque, um atacante recebeu na meia lua, chutou rasteiro e a bola saiu raspando a trave;
- 35 min: após tabela no ataque, João Paulo recebeu, entrou na área, chutou e o goleiro rebateu;
- 37 min: Airton errou passe no meio, um atacante avançou, rolou a bola para o companheiro, que concluiu e, quando a bola se dirigia para as nossas redes, Emerson Silva se esticou e salvou, mandando para escanteio.

2º tempo

- 1 min: o time adversário cobrou falta pela esquerda, sem ângulo e a bola acertou nosso travessão;
- 21 min: Pimpão puxou contra-ataque pela direita, rolou para o lado, Roger chutou da meia lua, o goleiro rebateu e Sassá concluiu por cima;
- 22 min: Emerson Santos cruzou da direita, Roger mergulhou e cabeceou para fora;
- 36 min: após escanteio da esquerda, Sassá concluiu na pequena área, o goleiro rebateu e após bate-rebate na área, a zaga equatoriana cortou a bola.

Cartões

 Amarelo para Airton, Marcelo e Pimpão;
 Airton e Marcelo receberam o terceiro amarelo e não podem enfrentar o Atlético Nacional.

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Emerson Santos, Joel Carli, Emerson Silva (Marcelo) e Victor Luis; Airton (Fernandes), João Paulo e Camilo (Roger); Guilherme, Sassá e Pimpão.

 Saudações alvinegras.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

S U P E R A Ç Ã O

 Uma marca que tem o atual time do Botafogo é a superação. Uma equipe que não desiste do jogo, que luta até o apito final. A estreia na Copa do Brasil foi mais um exemplo, quando o alvinegro superou um gol inesperado do adversário no início da partida, superou a expulsão de Bruno Silva ainda no 1º tempo, superou uma penalidade máxima contra, com Gatito fazendo uma defesa espetacular e mostrou que é um time que não desiste, marcando o gol da vitória aos 37 minutos da etapa final.

 Jogadores que se doam em campo, que honram a gloriosa camisa alvinegra, que buscam o resultado positivo até o fim do jogo, sempre terão nosso reconhecimento.

 O Botafogo entrou bem postado em campo, mas sofreu um gol logo aos 9 minutos. Passado o susto, o alvinegro tentou buscar o empate, teve uma oportunidade em falta cobrada por Camilo, depois chegou bem em dois cruzamentos de Guilherme, um pela esquerda e outro pela direita e, logo a seguir, em contra-ataque, que Guilherme concluiu e a zaga cortou.

 O gol de empate não saía e a situação piorou antes das equipes irem para o intervalo, já que Bruno Silva levou dois cartões amarelos, um aos 39 e outro aos 41, e foi expulso da partida. O segundo cartão, em minha opinião, não foi justo.

 O Botafogo voltou para o 2º tempo com Marcelo na vaga de Joel Carli, que segundo informações, sentiu desconforto muscular. Com um jogador a menos em campo, o Glorioso contra-atacou aos 11 minutos e Guilherme empatou a partida.

 Após o empate o alvinegro ficou retraído em campo e o adversário atacou mais, chegando com perigo aos 17, com Marcelo cortando, aos 22, com Gatito espalmando, mas aos 24 Emerson Silva cometeu pênalti. Antes da cobrança o nosso treinador substituiu Camilo por Pimpão. O adversário cobrou o pênalti aos 26 e Gatito defendeu bem demais.

 A defesa de Gatito no pênalti animou a equipe alvinegra e aos 28 quase que Emerson Silva desempatou de cabeça. Logo depois, Airton, com câimbras, foi substituído por Matheus Fernandes.

 Levamos um susto aos 36, quando a bola acertou a nossa trave, mas um minuto depois chegamos ao gol da vitória, novamente com Guilherme, em belo chute de canhota. Que vitória!

 Guilherme esteve em noite iluminada, marcou dois gols, fez boas jogadas e nos ajudou muito para conquistar o resultado positivo.

 Que defesa sensacional do Gatito na penalidade máxima, importantíssima para evitar que o adversário ficasse novamente na frente do placar.

 Destacar a roubada de bola de Airton e o passe para Guilherme na jogada do 1º gol, assim como a recuperação de bola de Emerson Santos, seguida de excelente lançamento para Guilherme na jogada do 2º gol.

 Jair Ventura precisa ter uma conversa com Bruno Silva em relação ao seu destempero. O 2º cartão achei exagerado, mas o 1º, por reclamação, após falta marcada, não pode acontecer. Com 10 em campo, a equipe precisou se desdobrar ainda mais.

Lances do jogo

1º tempo

- 9 min: em ataque da equipe adversária, um jogador pernambucano recebeu a bola fora da área, chutou forte e marcou um belo gol;
- 14 min: Camilo cobrou falta na entrada da área e o goleiro espalmou a bola;
- 26 min: Guilherme cruzou da esquerda, Sassá estava na jogada, mas a zaga se antecipou e cortou para escanteio;
- 27 min: Guilherme cruzou novamente, dessa vez da direita e Emerson Silva cabeceou para fora;
- 29 min: em contra-ataque, Camilo lançou Guilherme, que demorou a decidir a jogada, chutou e a bola foi cortada para escanteio;
- 40 min: a equipe adversária cobrou falta pelo lado esquerdo de ataque, Gatito rebateu e João Paulo cortou para lateral.

2º tempo

- 2 min: contra-ataque perigoso do adversário, a bola foi tocada para o miolo da área, mas Gatito segurou firme;
- 11 min: Airton roubou a bola no grande círculo, serviu Guilherme na esquerda, que avançou, entrou na área, cortou o marcador e chutou de direita para empatar: 1x1;
- 17 min: em ataque perigoso do adversário, a bola foi na área e Marcelo interceptou para escanteio;
- 22 min: em chute forte, pelo alto, do time adversário, Gatito mandou para escanteio;
- 24 min: Emerson Silva deu um bote errado ao ser driblado na área e cometeu pênalti;
- 26 min: na cobrança do pênalti, Gatito saltou e fez excelente defesa, evitando o 2º gol;
- 28 min: Victor Luis cobrou falta pela esquerda, Emerson Silva cabeceou e a bola passou perto da meta adversária;
- 36 min: após escanteio cobrado pelo lado direito, a bola foi na nossa área, sobrou para um jogador pernambucano, que chutou de virada e acertou a trave;
- 37 min: Emerson Santos recuperou a bola no campo de defesa, fez um excelente lançamento para Guilherme na esquerda, que avançou, entrou na área, chutou forte, de canhota e virou para o Fogão: 2x1!

Cartões

 Amarelo para Emerson Silva, Pimpão e Sassá.
 Vermelho para Bruno Silva (2 amarelos).

Escalação/substituições

 Gatito Fernandez, Emerson Santos, Joel Carli (Marcelo), Emerson Silva e Victor Luis; Airton (Matheus Fernandes), Bruno Silva, João Paulo e Camilo (Pimpão); Guilherme e Sassá.

 Saudações alvinegras!